Seguidores

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Temas de Redação - UFPB - 2006

Temas de Redação - UFPB - 2006

ORIENTAÇÕES GERAIS

- Escolha apenas uma das propostas temáticas apresentadas e desenvolva-a de acordo com a orientação dada.
- Mantenha fidelidade à proposta escolhida, pois a fuga à temática implica a anulação de seu texto.
- Utilize as informações fornecidas pelos textos apresentados para cada proposta – SEM COPIÁ-LAS. Os demais textos dessa prova poderão, também, ser utilizados como subsídios para sua redação. Caso cite passagens dostextos dados, utilize aspas.
- Siga a norma culta da língua escrita. Caso você escolha escrever um texto narrativo, poderá recorrer a outros registros da língua, desde que faça uso do discurso direto.
- Apresente letra legível, com tinta preta ou azul.
- Faça o rascunho, se necessário, na página 8 deste Caderno de Questões. O RASCUNHO NÃO SERÁ CORRIGIDO.
- No espaço indicado no CADERNO DE RESPOSTAS:
- Assinale com um X a quadrícula correspondente à proposta escolhida.
- Apresente um título para seu texto, que não seja apenas repetição da proposta dada.
- Desenvolva, em prosa, sua Redação em, no mínimo, 20 linhas e, no máximo, 25.


PROPOSTAS TEMÁTICAS PARA A REDAÇÃO

PROPOSTA A: A influência dos astros na vida das pessoas.

Essa temática, presente no poema Astrologia de Mario Quintana, é abordada, de forma diferenciada, nos textos a seguir.

UM ANO DE CONQUISTAS

Saturno, um dos planetas mais vistosos, graças aos seus anéis é também o senhor do tempo. Será sobre as suas influências que todos viveremos em 2006. Isso quer dizer que as pessoas lutarão pelo que desejam e que o senso de responsabilidade irá imperar nos quatro cantos do mundo. O momento será de muito trabalho e esforço, pois nada cairá dos céus: será preciso batalhar. (...) Os mais beneficiados pelas forças desse poderoso astro serão as pessoas que correm atrás dos seus sonhos, que não têm preguiça e que sabem que, para receber a recompensa, é preciso suar muito. Por isso, aqui vai a primeira dica de Saturno: Lute pelo que deseja e conquistará seus ideais.

( SuperGuia de horóscopo popular. Ano 5, 2006, p. 4).

ASTROLOGIA

A astrologia, em sua forma tradicional, é um método de adivinhação baseado na teoria de que as posições e movimentos dos corpos celestes (estrelas, planetas, sol e lua), no momento do nascimento, influenciam profundamente a vida da pessoa. A forma mais tradicional é a Astrologia de Signos Solares, tipo encontrado em numerosos jornais diários que publicam horóscopos. O termo também é usado para descrever um mapa do zodíaco no momento do nascimento da pessoa. O zodíaco se divide em doze zonas celestes, cada qual recebendo o nome de uma constelação que originalmente coincidia com a zona (Touro, Leão, etc.). Todas as trajetórias aparentes do sol, da lua e dos principais planetas se encaixam dentro do zodíaco.

(Texto adaptado). (Disponível em: <http://www.brazil.skepdic.com>. Acesso em: 02 dez. 2005).

Com base nas informações apresentadas, produza um texto, articulando as idéias que resultaram dessas leituras.

PROPOSTA B: A biodiversidade da Amazônia deve ser explorada apenas pelos brasileiros?

No conto de Lygia Fagundes Telles, o primo da personagem-narradora é um botânico que coleta folhas para o seu herbário. Assim como esse personagem do conto, muitos pesquisadores são atraídos pela biodiversidade das florestas brasileiras, consideradas um tesouro precioso. Nos textos abaixo, são apresentadas algumas informações a respeito dessa temática.


Em entrevista dada à Folha de São Paulo, o médico Drauzio Varella assim se expressa sobre a preservação da biodiversidade da Amazônia:

       “Você pode cortar toda a madeira da Amazônia, todo o mogno, que não tem problema. Mas basta aparecer com uma tesourinha e cortar um galhinho de árvore que dá uma complicação. Biopirataria é patentear o urucum, o cupuaçu, como os japoneses fizeram. Pesquisa só dá prejuízo. Quando começamos as pesquisas, achamos que deveríamos ver o que as comunidades tradicionais usavam. Eu desanimei no ato: 90% das coisas que os índios usam é para o fígado. (...) Nós não temos nada a aprender com a medicina dos índios. Eles ficam tomando chás porque não têm remédio, não têm antibiótico. Nós pesquisamos cem extratos [vegetais] que têm atividades. (...) É um trabalho muito cauteloso, muito demorado. É inviável monetariamente. E o que o governo faz? Está espantando os interessados em fazer estudos. A única chance de preservação é através do estudo. Estrangeiros a quem devemos muito, que passaram a vida na Amazônia catalogando plantas, são tratados como biopiratas. É preciso criar regras.”

(Folha de São Paulo, Cotidiano, 27 mar. 2005, p. 19).

BIOPIRATARIA

       A biopirataria é o desvio ilegal das riquezas naturais e do conhecimento das populações tradicionais. É um mal que abate e enfraquece cada vez mais o nosso país, resultando na perda de um imprescindível patrimônio genético e biosférico, ainda longe de ser mensurável do ponto de vista econômico. Um dos muitos fatores que torna mais grave essa delicadíssima questão da biopirataria no Brasil é o crescente avanço da biotecnologia no primeiro mundo ante um país que continua fazendo acanhados e parcos investimentos nos setores da educação, ensino e pesquisa. O estudo do tema no Brasil permite dois grandes enfoques que são complementares. O primeiro diz respeito às ações clandestinas de retirada de recursos de nossa biodiversidade e o segundo traz à tona outra faceta da biopirataria relacionada à maneira pela qual o Brasil, por meio de seus poderes públicos, tem tratado a questão da regulação do acesso à biodiversidade.
       (...) Em várias regiões da Amazônia, pesquisadores estrangeiros desembarcam com vistos de turista, entram na floresta, muitas vezes, infiltrando-se em comunidades tradicionais ou em áreas indígenas. Fazendo-se valer da carência social e econômica dos mateiros, índios e matutos — gente que conhece como a palma da mão os mistérios e riquezas da natureza — buscam e orientam a exploração e o tráfico de mudas, sementes, insetos, de nossa farta biodiversidade.

(Texto adaptado). (Disponível em: <http:// www.ambientebrasil.com.br> Acesso em: 02 dez. 2005).

Considerando essas informações, produza um texto, posicionando-se sobre essa problemática.


Leia também:

Temas de redação – Mackenzie – 1º semestre - 2008
Temas de redação da FUVEST de 2009 a 2012
Temas de redação - Unicamp - 2010
Temas de redação – Enem – 2010 – 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário