Seguidores

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

TEMA DE REDAÇÃO – PUC-CAMPINAS – 2010

TEMA DE REDAÇÃO – PUC-CAMPINAS – 2010

INSTRUÇÕES GERAIS

I. Dos cuidados gerais a serem tomados pelos candidatos:

1. Leia atentamente as propostas, escolhendo uma das três para sua prova de Redação.
2. Escreva, na primeira linha do formulário de redação, o número da proposta escolhida. A colocação de um título é optativa, a não ser quando expressamente solicitada.
3. Redija seu texto a tinta (em preto).
4. Apresente o texto redigido com letra legível (cursiva ou de forma), em padrão estético conveniente (margens, paragrafação etc.).
5. Não coloque o seu nome na folha de redação.
6. Tenha como padrão básico o mínimo de 30 (trinta) linhas.

II. Da elaboração da redação:

1. Atenda, com cuidado, em todos os seus aspectos, à proposta escolhida. Às redações que não atenderem à proposta (adequação ao tema e ao tipo de composição) será atribuída nota zero.
2. Empregue nível de linguagem apropriado à sua escolha.
3. Estruture seu texto utilizando recursos gramaticais e vocabulário adequados. Lembre-se de que o uso correto de pronomes e de conjunções mantém a coesão textual.
4. Seja claro e coerente na exposição de suas ideias.

PROPOSTA I – DISSERTAÇÃO

            Leia o editorial abaixo procurando apreender o tema nele desenvolvido.
            Em seguida, elabore uma dissertação, na qual você exporá, de modo claro e coerente, suas ideias acerca do tema tratado no editorial.

            É um bom sinal que 24 empresas do setor alimentício tenham decidido banir a propaganda voltada para crianças de até 12 anos em programas de TV com audiência formada majoritariamente por esse público. A restrição se estende a seções de jornais e revistas, sites e programação de rádio com características semelhantes.
            A proposta reconhece que crianças, mais vulneráveis, devem ser protegidas de alguns tipos de publicidade. Pena que a elogiável decisão corra o risco de se revelar inócua, pois nenhuma atração da TV aberta ou dos canais por assinatura possui mais 30% de público dentro da referida faixa etária. Apenas a TV Cultura leva ao ar programas que se enquadram nos termos propostos, mas a própria emissora não aceita publicidade nesses casos.
            É sintomático que a medida tenha sido anunciada no momento em que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária coloca em consulta pública uma série de normas para cercear a propaganda de alimentos dirigida às crianças.
            O órgão quer proibir anúncios de itens com baixo valor nutricional e vetar o recurso a brindes, desenhos e personagens admirados pelo público infantil na divulgação desses produtos.
            A autorregulamentação é a melhor resposta ao problema. Antecipando-se às demandas da sociedade, a indústria tem mais chances de evitar a indesejável intervenção do Estado por meio de leis draconianas. Iniciativas como a da Anvisa representam uma ameaça de tutela indevida sobre a liberdade dos indivíduos e o discernimento dos pais acerca do que é melhor para os filhos.
            Seria louvável se os próprios fabricantes pensassem em desativar linhas de produtos reconhecidamente prejudiciais à saúde infantil e se entendessem a restrição à publicidade para crianças como algo efetivo, e não apenas um lance de marketing politicamente correto.

(Folha de S. Paulo, A2 opinião, domingo, 30 de agosto de 2009)
PROPOSTA II - DISSERTAÇAO

crítica s.f 1 segundo a tradição, arte e habilidade de julgar a obra de um autor 2 exame racional, indiferente a preconceitos, convenções ou dogmas, tendo em vista algum juízo de valor 3 p. ext. atividade de examinar e avaliar minuciosamente tanto uma produção artística ou científica quanto um costume, um comportamento; análise, apreciação, exame, julgamento, juízo.

preconceito s.m. 1 qualquer opinião ou sentimento, quer favorável, quer desfavorável, concebido sem exame crítico 1.1 ideia, opinião ou sentimento desfavorável formado a priori, sem maior conhecimento, ponderação ou razão 2 atitude, sentimento ou parecer insensato, especialmente de natureza hostil, assumido em consequência de generalização apressada de uma experiência pessoal ou imposta pelo meio; intolerância.

Levando em consideração as significações indicadas nos verbetes acima, transcritas do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, redija uma dissertação, na qual você desenvolverá, com clareza e coerência, seu ponto de vista acerca do seguinte tema:

Quem, ao julgar, baseia-se numa vivência ou numa experiência pessoal, dificilmente confunde crítica com preconceito.

PROPOSTA III - NARRAÇÃO

            Com a interrupção da energia elétrica, um elevador parou entre andares, e assim ficará por uns longos minutos.
            Dentro dele encontram-se uma babá com uma criança de três anos, uma professora de português aposentada, um casal de namorados adolescentes, o síndico do edifício... e você.
            Aproveitando a situação e as personagens acima referidas, desenvolva uma narrativa, explorando o potencial das personagens em suas diferentes reações.


Nenhum comentário:

Postar um comentário