Seguidores

domingo, 19 de junho de 2016

Fatec 2015 – 2º Semestre – Prova de Língua Portuguesa

Fatec – Prova de Língua Portuguesa - 2º Semestre – 2015

Leia o texto para responder às questões de números 50 a 53.

Nova geração - Ivan Angelo
            O rapaz chegou para a entrevista. O executivo de vendas on-line da grande empresa levantou-se para apertar sua mão (...) e aproveitou para dar uma geral no rapaz.
            Arrumado, mas nada formal, de sapato novo, jeans, camisa de manga comprida enrolada ate a metade do antebraço. O detalhe que o incomodou um pouco foi um brinquinho prateado de argola mínima na orelha esquerda. “Nisso dá-se um jeito depois, se valer a pena”, pensou o executivo.
            Ele sabia que não estava fácil atrair novos talentos e reter os melhores. Empresas aparelhavam-se para o crescimento projetado do país, contratavam jovens promissores, mesmo os muito jovens, como era o caso do rapaz a sua frente, 21 anos. (...)
            Havia mais de duas horas que o rapaz estava em avaliação na empresa. Passara pela entrevista inicial com o chefe do setor, resolvera os probleminhas técnicos de internet e programação visual que lhe apresentaram, com rapidez e certa superioridade irônica, lera os princípios, valores e perfil da empresa (...). Alguns itens, como “comprometimento”, foram apresentados como pré-requisitos. Afinal o encaminharam para o diretor da área de e-comerce, vendas pela internet.           O executivo tinha em mãos a avaliação do candidato: excelente.
            Descreveu o trabalho de que a empresa necessitava: desenvolvimento de um site interativo no qual o cliente internauta pudesse fazer simulações de medidas, cores, ajustes, acessórios, preços, formas de pagamento e programação de entrega de cerca de 200 produtos. Durante sua fala, o rapaz mexeu as pernas, levantou um pé, depois o outro, incomodado. O executivo perguntou se ele se sentia apto.
            — Dá para fazer — respondeu o rapaz, movendo a perna, como se buscasse alívio.
            — Posso te ajudar em alguma coisa?
            — Vou te falar a verdade. Eu comprei este sapato para vir aqui e ele está me apertando e incomodando. Eu só uso tênis.
            O executivo sorriu e pensou: “Esses meninos...”.
            — Quem falou para eu vir fazer esta entrevista, e vir de sapato, foi minha namorada. Porque eu não vinha. Ela falou para eu comprar sapato, e o sapato está me apertando aqui, me atrapalhando.
            Nos últimos anos, o executivo vinha percebendo que os desafios pessoais para a novíssima geração eram diferentes, e que havia limites para o que eles estavam dispostos a ceder antes de se comprometer com um trabalho formal.
            — Não tem problema. Pode vir de tênis. O emprego e seu.
            — Não, obrigado. Eu não quero emprego.
            O executivo parou estupefato. O menino continuou:
            — Todo mundo foi muito gentil, mas não vai dar. Esta camisa é do meu pai, eu tenho tatuagem, trabalho ouvindo música.
            — Então por que se candidatou, se não queria trabalhar?
            — Desculpe, eu não falei que não queria trabalhar.
            Novo espanto do executivo. Sentia nas falas dele e do rapaz uma dissintonia curiosa. Como ficou calado, esperando, o rapaz prosseguiu:
            — É muito arrumado aqui. E eu não quero ficar ouvindo falar de identidade corporativa, marco regulatório, desenvolvimento organizacional, demanda de mercado, sinergia, estratégia, parâmetros, metas, foco, valores... Desculpe, eu não sabia que era assim. Achava que era só fazer o trabalho direito e ver funcionar legal.
            O executivo ficou olhando a figura, contando até dez, olhos fixados naquele brinco. O garoto queria ter a liberdade dele, a camiseta colorida dele, o tênis furado dele, ouvir a música dele nos fones de ouvido, talvez trabalhar de madrugada e dormir de manhã. Não queria aquele mundo em que ele mesmo estava metido havia vinte anos. Conferiu de novo as qualificações do rapaz, aquele “excelente”. Ousou:
            — Trabalhar em casa você aceita?
            — Aceito.
            Queria o trabalho, não o emprego. Acertaram os detalhes. Assim caminha a humanidade.

<http://tinyurl.com/n66pnvs> Acesso em: 15.03.2015. Adaptado.

Questão 50 - Assinale a alternativa que traz uma afirmacao correta sobre o texto.

(A) O rapaz foi orientado pelo executivo quanto ao traje adequado para a entrevista.
(B) O rapaz sentiu-se muito confortável com a roupa que vestia durante a entrevista.
(C) O rapaz ficou inseguro na entrevista, por estar mal trajado para o momento.
(D) O executivo aprovou o traje do rapaz, exceto o adereço que ele usava na orelha.
(E) O executivo disse para o gerente que depois daria um jeito no brinco usado pelo rapaz.

Questão 51 - Considerando o texto, podemos afirmar que o candidato, no primeiro momento, recusou o emprego naquela empresa porque

(A) ficou desapontado ao saber do salário, depois de passar por uma série de entrevistas e testes para o cargo.
(B) não se sentia seguro para desempenhar as tarefas inerentes ao cargo ao qual se candidatou.
(C) não desejava ficar preso a regras corporativas, que ditam estéticas e padrões de comportamento nas empresas.
(D) desejava contrariar as pressões da namorada que insistia que ele trabalhasse naquela grande corporação.
(E) desejava fazer pressão para poder negociar uma proposta salarial mais interessante do que a empresa lhe oferecia.

Questão 52 - Segundo o texto, a empresa estava recrutando um funcionário para desenvolver

(A) uma nova área de relacionamento pós-venda.
(B) uma nova imagem no mercado imobiliário.
(C) um novo modelo de venda presencial.
(D) um site de serviço de ouvidoria aos clientes.
(E) um site interativo para melhor atender os clientes.

Questão 53 - “E eu não quero ficar ouvindo falar de identidade corporativa, marco regulatório, desenvolvimento organizacional, demanda de mercado, sinergia, estratégia,
parâmetros, metas, foco, valores...”
A organização sintática, na construção desse período, foi possível porque as virgulas empregadas separam

(A) o vocativo, termo que chama, evoca o interlocutor.
(B) o aposto, termo que explica o termo anterior.
(C) os predicativos do sujeito presentes na frase.
(D) os adjuntos adnominais e os vocativos.
(E) os termos de mesmo valor sintático.

O fragmento a seguir pertence a obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis.

            E vejam agora com que destreza; com que arte faço eu a maior transição deste livro. Vejam: o meu delírio começou em presença de Virgília; Virgília foi o meu grão pecado da juventude; não há juventude sem meninice; meninice supõe nascimento; e eis aqui como chegamos nos, sem esforço, ao dia 20 de outubro de 1805, em que nasci. Viram? Nenhuma juntura aparente, nada que divirta a atenção pausada do leitor: nada. De modo que o livro fica assim com todas as vantagens do método, sem a rigidez do método.

<http://tinyurl.com/lnpaee9> Acesso em: 09.04.2015. Adaptado.

Questão 54 -Sobre esse escritor e correto afirmar que se trata de um autor

(A) realista, cuja estética valoriza a arte pela arte, incorporando aos enredos a ideologia árcade, voltada aos padrões greco-latinos.
(B) realista, cujos textos fazem criticas a sociedade e, por vezes, atribuem ao leitor o papel de interlocutor do narrador.
(C) realista, pois se serve da linguagem popular e de personagens do povo para ocultar a realidade do pais.
(D) simbolista, cujos romances se caracterizam pela presença do onírico, da musicalidade e da analise psicológica das personagens.
(E) simbolista, pois se expressa por meio de uma linguagem marcada, predominantemente, por sinestesias e metáforas.


Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário