Seguidores

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Prova de Língua Portuguesa – FEI – 2012 - 1º semestre

Prova de Língua Portuguesa – FEI – 2012 - 1º semestre

PORTUGUÊS

Segue o início do livro Iracema, de José de Alencar, publicado pela primeira vez em 1865. Trata-se do encontro entre a índia Iracema e o português Martim. A partir da leitura atenta do fragmento, responda às questões a seguir:

1.         “Além, muito além daquela serra, que ainda azula no horizonte, nasceu Iracema. Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que seu talhe de palmeira.
5.         O favo da jati não era doce como seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado. Mais rápida que a corça selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do Ipu, onde campeava sua guerreira tribo, da grande nação tabajara. O pé grácil e nu, mal roçando, alisava apenas a verde pelúcia que vestia a terra com as primeiras águas.
10.       Um dia, ao pino do Sol, ela repousava em um claro da floresta. Banhava-lhe o corpo a sombra da oiticica, mais fresca do que o orvalho da noite. Os ramos da acácia silvestre esparziam flores sobre os úmidos cabelos. Escondidos na folhagem os pássaros ameigavam o canto. (...)
15.       Rumor suspeito quebra a doce harmonia da sesta. Ergue a virgem os olhos, que o Sol não deslumbra; sua vista perturba-se. Diante dela e todo a contemplá-la está um guerreiro estranho, se é guerreiro e não algum mau espírito da floresta. Tem nas faces o branco das areias que bordam o mar; nos olhos o azul triste das águas profundas. Ignotas armas e tecidos ignotos cobrem-lhe o corpo.
20.       Foi rápido, como o olhar, o gesto de Iracema. A flecha embebida no arco partiu. Gotas de sangue borbulham na face do desconhecido. De primeiro ímpeto, a mão lesta caiu sobre a cruz da espada; mas logo sorriu. O moço guerreiro aprendeu na religião de sua mãe, onde a mulher é símbolo de ternura e amor. Sofreu mais d’alma que da ferida.
25.       O sentimento que ele pôs nos olhos e no rosto, não o sei eu. Porém a virgem lançou de si o arco e a uiraçaba, e correu para o guerreiro, sentida da mágoa que causara. 30. A mão que rápida ferira, estancou mais rápida e compassiva o sangue que gotejava. Depois Iracema quebrou a flecha homicida: deu a haste ao desconhecido, guardando consigo a ponta farpada.”

1ª Questão. Os três primeiros parágrafos são predominantemente:

(A) dissertativos (B) narrativos (C) descritivos (D) argumentativos (E) dissertativo-argumentativos

2ª Questão. Iracema representa o estilo de época conhecido como:

(A) Romantismo (B) Realismo (C) Modernismo (D) Barroco (E) Arcadismo

3ª Questão. Parte da produção literária de José de Alencar, conhecida por seus traços indianistas e nacionalistas, dialoga intimamente com a de outro escritor, que lhe é contemporâneo. Trata-se de:

(A) Machado de Assis (B) Gonçalves Dias (C) Álvares de Azevedo
(D) Junqueira Freire    (E) Antonio Callado

4ª Questão. Com a independência do Brasil, em 1822, os artistas e intelectuais buscaram construir uma identidade para o país. Nesse contexto, Iracema explora o espaço da selva. Sobre o romance indianista, é correto afirmar:

(A) O índio é tratado como inimigo ou um elemento que ameaça o colonizador português, já que contestava a civilização ocidental.
(B) Há uma crítica aos costumes dos indígenas (bem como aos dos negros), traduzindo a crença na superioridade da cultura europeia trazida pelos homens brancos.
(C) Há um desejo de valorizar a contribuição indígena, representada como um dos pilares nos quais a cultura nacional se formou.
(D) O olhar realista sobre o indígena é resultado do trabalho de conscientização feito pelos jesuítas, que buscaram preservar a liberdade dos silvícolas.
(E) A natureza é vista como hostil ao homem e como algo que está em permanente conflito com ele.

5ª Questão. Acerca dos três últimos parágrafos, é possível afirmar que:

(A) contrariando os padrões da escola literária a que pertence, o autor descreve o nascimento de uma repentina paixão entre Iracema e o homem ferido.
(B) o guerreiro não se abala emocionalmente com a ação da índia Iracema.
(C) o encontro do casal serve de pretexto para evidenciar a incompatibilidade entre índios e europeus.
(D) o final deste fragmento retrata a covardia do homem branco diante da índia, armada apenas de arco e flecha.
(E) o encontro entre Iracema e o guerreiro desperta a paixão súbita que os envolverá, o que exemplifica uma das características da escola literária que o romance representa.

6ª Questão. Sobre o estilo utilizado por José de Alencar, verifica-se:

(A) o uso de uma linguagem cotidiana e típica dos centros urbanos.
(B) a presença de uma linguagem objetiva e direta.
(C) o emprego de arcaísmos e estrangeirismos.
(D) o uso de uma linguagem poética, carregada de termos indígenas.
(E) o emprego de neologismos e termos regionalistas.

7ª Questão. Em “Mais rápida que a corça selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do Ipu, onde campeava sua guerreira tribo, da grande nação tabajara. O pé grácil e nu, mal roçando, alisava apenas a verde pelúcia que vestia a terra com as primeiras águas” (linhas 7-9), verifica-se:

(A) a construção de um olhar realista sobre o feminino.
(B) o olhar irônico do autor sobre a mulher indígena ao caracterizá-la com metáforas que remetem à natureza brasileira.
(C) a desvalorização da mulher diante da grandeza da natureza.
(D) o tom cético do autor diante da beleza feminina.
(E) a idealização da mulher, íntegra nas suas belezas físicas e morais.

8ª Questão. Observe as frases:
I. “nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado” (linhas 5 e 6).
II. “Ignotas armas e tecidos ignotos cobrem-lhe o corpo” (linhas 18 e 19).
III. “a mão lesta caiu sobre a cruz da espada” (linha 22).
IV. “A mão que rápida ferira, estancou mais rápida e compassiva o sangue que gotejava” (linhas 28 e 29).

Sem alterar o sentido original do contexto em que se apresentam, os termos em destaque poderiam ser substituídos respectivamente por:

(A) acendia, antiquadas, lenta e paciente.
(B) exalava seu perfume, desconhecidas, ligeira e compadecida.
(C) subia, incomuns, atenta e passiva.
(D) espalhava-se, primitivas, forte e carinhosa.
(E) verdejava, grosseiras, ágil e calma.

9ª Questão. Do amor impossível entre Iracema e Martim, nasce Moacir (cujo nome, na língua indígena, significa “filho da dor”), pelo qual Iracema morre. Dentro da história da literatura brasileira, é possível ler esse livro como:

(A) romance que busca construir uma origem lendária para a nação brasileira, marcada pela dor, pela guerra e pela miscigenação.
(B) uma narrativa que subverte ironicamente os símbolos da pátria, firmada nos princípios da liberdade, fraternidade e igualdade.
(C) narrativa que propõe uma interpretação para o atraso brasileiro, justificando-o como decorrência da incompatibilidade entre os colonizadores e os índios, uma vez que estes seriam incapazes de assimilar a superioridade cultural e científica do europeu que aqui chegava.
(D) um romance que busca reconstruir o passado do Brasil da maneira mais fiel possível aos fatos históricos.
(E) romance cujo objetivo é denunciar as injustiças cometidas contra os indígenas ao longo de mais de três séculos de colonização portuguesa.

10ª Questão. Observe: “O sentimento que ele pôs nos olhos e no rosto, não o sei eu. Porém a virgem lançou de si o arco e a uiraçaba” (linhas 25 e 26). A classificação morfológica dos termos em destaque é, respectivamente:

(A) artigo, pronome e pronome.   (B) artigo, artigo e pronome.
(C) pronome, artigo e pronome.   (D) artigo, pronome e artigo.   (E) pronome, pronome e artigo.


11ª Questão. No trecho inicial do fragmento acima transcrito (linhas 1-11), percebe-se o uso das figuras de linguagem conhecidas como:

(A) antítese e hipérbole       (B) antítese e comparação
(C) eufemismo e metáfora  (D) paradoxo e ironia             (E) metáfora e comparação

12ª Questão. Em “Além, muito além daquela serra, que ainda azula no horizonte, nasceu Iracema” (linha 1), o verbo em destaque é:

(A) transitivo direto                  (B) transitivo indireto      (C) intransitivo 
(D) transitivo direto e indireto  (E) verbo de ligação

13ª Questão. Sintaticamente, classifica-se “a virgem dos lábios de mel” (linha 3) como:

(A) vocativo (B) aposto (C) sujeito (D) objeto direto (E) adjunto adnominal

14ª Questão. Em “Os ramos da acácia silvestre esparziam flores sobre os úmidos cabelos” (linhas 11 e 12):

(A) há dois períodos compostos por duas orações cada um.
(B) há um período composto por duas orações.
(C) não há a formação de um período.
(D) há um período simples.
(E) há dois períodos compostos por uma oração simples cada um.

15ª Questão. A voz verbal de “sua vista perturba-se” (linha 15) é:

(A) ativa (B) passiva (C) recíproca (D) reflexiva (E) indeterminada

16ª Questão. Em “Tem nas faces o branco das areias que bordam o mar” (linhas 17 e 18), a oração em destaque classifica-se como oração subordinada:

(A) adjetiva restritiva              (B) adjetiva explicativa     (C) adverbial causal
(D) substantiva objetiva direta (E) substantiva subjetiva

17ª Questão. A inversão na ordem dos termos dentro da oração, contrariando a convencional ordem direta, ocorre em:

(A) “O favo da jati não era doce como seu sorriso” (linha 5).
(B) “Foi rápido, como o olhar, o gesto de Iracema” (linha 20).
(C) “a morena virgem corria o sertão” (linha 7).
(D) “Rumor suspeito quebra a doce harmonia da sesta” (linha 14).
(E) “A flecha embebida no arco partiu” (linha 20).

18ª Questão. Em “Porém a virgem lançou de si o arco e a uiraçaba” (linhas 25 e 26), o conectivo em destaque adquire, no contexto, o sentido de:

(A) explicação (B) conclusão (C) condição (D) alternância (E) oposição

19ª Questão. A grafia do termo em destaque em “se é guerreiro e não algum mau espírito da floresta” (linhas 16 e 17) justifica-se, pois o termo é um:

(A) advérbio e, como tal, modifica o verbo.
(B) adjetivo ligado a “guerreiro”.
(C) adjetivo ligado a “espírito”.
(D) advérbio ligado a outro advérbio, o “não”.
(E) adjetivo ligado ao pronome “algum”.

20ª Questão. Especialmente nos cinco primeiros parágrafos, predomina o:

(A) pretérito imperfeito do indicativo
(B) presente do indicativo
(C) pretérito perfeito do indicativo
(D) futuro do indicativo
(E) pretérito imperfeito do subjuntivo


Nenhum comentário:

Postar um comentário