Seguidores

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Prova de Língua Portuguesa – FEI – 2013 - 1º semestre

Prova de Língua Portuguesa – FEI – 2013 - 1º semestre

PORTUGUÊS

Leia o fragmento abaixo, retirado de Capitães da Areia, de Jorge Amado e, contemplando a obra como um todo, responda a seguir:

            “Sob a lua, num velho trapiche abandonado, as crianças dormem.
            Antigamente aqui era o mar. Nas grandes e negras pedras dos alicerces do trapiche as ondas ora se rebentavam fragorosas, ora vinham se bater mansamente. A água passava por baixo da ponte sob a qual muitas crianças repousam agora, iluminadas por uma réstia amarela de lua. Desta ponte saíram inúmeros veleiros carregados, alguns eram enormes e pintados de estranhas cores, para a aventura das travessias marítimas. Aqui vinham encher os porões e atracavam nesta ponte de tábuas, hoje comidas. Antigamente diante do trapiche se estendia o mistério do mar-oceano, as noites diante dele eram de um verde escuro, quase negras, daquela cor misteriosa que é a cor do mar à noite.
            Hoje a noite é alva em frente ao trapiche. É que na sua frente se estende agora o areal do cais do porto. Por baixo da ponte não há mais rumor de ondas. A areia invadiu tudo, fez o mar recuar de muitos metros. Aos poucos, lentamente, a areia foi conquistando a frente do trapiche. Não mais atracaram na sua ponte os veleiros que iam partir carregados. Não mais trabalham ali os negros musculosos que vieram da escravatura. Não mais cantou na velha ponte uma canção, um marinheiro nostálgico. A areia se estendeu muito alva em frente ao trapiche. E nunca mais encheram de fardos,
de sacos, de caixões, o imenso casarão. Ficou abandonado em meio ao areal, mancha negra na brancura do cais. (...)
            Durante anos foi povoado exclusivamente pelos ratos que o atravessavam em corridas brincalhonas, que roíam a madeira das portas monumentais, que o habitavam como senhores exclusivos. Em certa época um cachorro vagabundo o procurou como refúgio contra o vento e contra a chuva.
            Na primeira noite não dormiu, ocupado em despedaçar ratos que passavam na
sua frente. Dormiu depois algumas noites, ladrando à lua pela madrugada, pois grande parte do teto já ruíra e os raios da lua penetravam livremente, iluminando o assoalho de tábuas grossas. Mas aquele era um cachorro sem pouso certo e cedo partiu em busca de outra pousada, o escuro de uma porta, o vão de uma ponte, o corpo quente de uma cadela. E os ratos voltaram a dominar até que os Capitães da Areia lançaram suas vistas para o casarão abandonado.”

1ª Questão. É correto afirmar sobre Capitães da Areia:

(A) Conta as aventuras de um grupo de meninos que se rebelam contra a ordem social estabelecida.
(B) Narra um período da vida de um grupo de meninos de rua.
(C) Relata as experiências de um grupo de meninos oriundos de famílias abastadas.
(D) Trata da decadência das fazendas de cacau e das consequências disto para os órfãos.
(E) Conta a vitória dos meninos abandonados sobre a miséria dos anos de 1930.

2ª Questão. Sobre o foco narrativo, pode-se afirmar que:

(A) É onisciente e não explora a intimidade, os pensamentos e os sentimentos dos personagens.
(B) Está em terceira pessoa e aborda os fatos narrados com absoluta imparcialidade.
(C) Está em terceira pessoa e não é imparcial, evidenciando preferência pelo grupo de meninos.
(D) Está em primeira pessoa e é testemunha dos fatos narrados.
(E) Não é onisciente, pois se limita a narrar os fatos observados.

3ª Questão. Com relação ao gênero, Capitães da Areia é exemplo de:

(A) conto (B) romance (C) crônica (D) texto dramático (E) novela

4ª Questão. Sobre o espaço em que se desenvolve a história narrada, pode-se afirmar que:

(A) Não possui importância para a obra, porque não influencia o desenvolvimento da história.
(B) É construído a partir dos devaneios dos personagens, que projetam um lugar ideal, onde poderiam se sentir seguros e acolhidos.
(C) Deixa claro o desejo de liberdade dos meninos.
(D) Afirma a tese de que a ocupação do espaço é uma questão social e de divisão de renda.
(E) Evidencia a democratização do espaço e a convivência pacífica entre as diversas classes sociais.

5ª Questão. Capitães da Areia se caracteriza por ser:

(A) uma obra da segunda geração modernista, que integra o chamado ciclo do romance de 1930.
(B) uma obra da literatura contemporânea, que revela as contradições das sociedades pós-modernas.
(C) romance romântico, caracterizado por narrar histórias de amor entre adolescentes.
(D) romance modernista, que segue a irreverência dos autores da Semana de 1922.
(E) romance vinculado ao Naturalismo, corrente literária vigente em fins do século XIX.

6ª Questão. Seja pelas características temáticas e estéticas de Capitães da Areia, seja pela geração a que pertence, Jorge Amado é lido muitas vezes ao lado de:

(A) Machado de Assis, autor de Memórias Póstumas de Brás Cubas.
(B) José de Alencar, que publicou, entre outras obras indianistas, O Guarani.
(C) Mário de Andrade, conhecido por Macunaíma, o herói sem nenhum caráter.
(D) Rachel de Queiroz, que em O Quinze evidencia preocupações de cunho social.
(E) Lygia Fagundes Telles e o seu conto “Venha ver o pôr do sol”.

7ª Questão. Sobre a linguagem de Capitães da Areia, como se pode perceber no fragmento acima transcrito, é correto afirmar:

(A) Há predomínio de linguagem culta, com vocabulário repleto de arcaísmos e uso de longos períodos subordinados.
(B) Há uma tendência de aproximar o texto literário da linguagem um pouco mais coloquial ou popular, com vocabulário de uso corrente e estruturas sintáticas simples.
(C) Há um trabalho experimental com a linguagem, o que se revela por meio da presença de neologismos e de períodos marcados por rupturas sintáticas.
(D) Os tipos populares retratados contrastam com a linguagem formal, quase acadêmica, do texto.
(E) Há um estilo de linguagem marcado por um discurso direto, objetivo, contido e seco.

8ª Questão. Sobre o fragmento acima transcrito, é correto afirmar que:

(A) ele retrata um ambiente marcado pelo abandono e pela miséria.
(B) ele traduz um forte apelo nacionalista, típico da obra de Jorge Amado.
(C) ele sugere que as condições de vida dos meninos de rua em nada se aproximam da condição de vida dos escravos que antes trabalhavam no trapiche.
(D) ele traz elementos que permitem compreender a força e a resistência dos meninos de rua, que lutam por melhores condições de vida.
(E) ele descreve um ambiente que simboliza a modernização do Brasil.

9ª Questão. Com relação ao aspecto temporal, é correto afirmar que o fragmento transcrito:

(A) refere-se a um arco temporal muito curto, restrito ao momento presente.
(B) apresenta referências temporais imprecisas e contraditórias.
(C) constrói-se a partir de referências temporais marcadas por eventos já ocorridos.
(D) apresenta ausência de marcas temporais, dado o caráter literário do texto.
(E) volta-se para o futuro, permitindo entrever a evolução que ocorrerá na ocupação do trapiche depois dos fatos narrados.

10ª Questão. A presença de animais (como “cachorro abandonado” e “ratos”) no trapiche que será ocupado pelos “Capitães da Areia”, segundo o contexto, delimita um campo de significado que aponta para:

(A) a falta de higiene das camadas populares e o descaso dos dirigentes políticos com os lugares públicos.
(B) as péssimas condições de vida das crianças que ocuparam o trapiche.
(C) os transtornos causados pela ocupação dos espaços livres por miseráveis nos grandes centros urbanos.
(D) a necessidade de combater animais que transmitem doenças.
(E) o espaço acolhedor que é um trapiche, em qualquer cidade do país.

11ª Questão. O fragmento acima é predominantemente:

(A) narrativo (B) dissertativo (C) argumentativo (D) expositivo (E) descritivo

12ª Questão. O primeiro parágrafo do livro “Sob a lua, num velho trapiche abandonado, as crianças dormem” é sintaticamente classificado como:

(A) oração coordenada sindética aditiva
(B) oração subordinada adverbial
(C) período composto por subordinação
(D) período composto por coordenação
(E) período simples

13ª Questão. Em “Antigamente aqui era o mar”, identifica-se:

(A) um adjetivo e um advérbio.
(B) dois advérbios de tempo.
(C) um advérbio de tempo e um de lugar.
(D) dois adjetivos.
(E) um advérbio de intensidade e um advérbio de tempo.

14ª Questão. Em “A água passava por baixo da ponte”, o verbo em destaque é classificado sintaticamente como:

(A) transitivo direto (B) transitivo indireto (C) bitransitivo (D) verbo de ligação (E) intransitivo

15ª Questão. Logo depois da oração “que é a cor do mar à noite.” vem a primeira oração do terceiro parágrafo “Hoje a noite é alva em frente ao trapiche”. Colocando em comparação os termos em destaque, é possível entender que o acento grave:

(A) indica a ocorrência de crase na expressão adverbial feminina de tempo.
(B) registra que há o encontro de um pronome pessoal e uma preposição.
(C) indica a ocorrência de crase em expressões adverbiais femininas ou masculinas.
(D) é usado de acordo com o desejo do autor do texto.
(E) é usado sempre que aparece um substantivo feminino precedido por artigo.

16ª Questão. Verifica-se em “E nunca mais encheram de fardos, de sacos, de caixões, o imenso casarão”:

(A) inversão dos termos na oração, que apresenta o sujeito no final do período.
(B) “de fardos, de sacos, de caixões” é o sujeito do verbo “encheram”.
(C) sujeito implícito, evidenciado em orações anteriores.
(D) oração em ordem direta e sem sujeito.
(E) “o imenso casarão” é sujeito do verbo “encheram”.

17ª Questão. Em “pois grande parte do teto já ruíra e os raios da lua penetravam livremente”, os verbos mantêm estreita correlação verbal. O primeiro verbo, “ruir”, expressa uma ação anterior à próxima ação, “penetrar”, já passada. Contextos desse tipo exigem que o primeiro verbo seja flexionado em um tempo conhecido por:

(A) pretérito perfeito    (B) pretérito imperfeito
(C) futuro do pretérito  (D) pretérito mais-que-perfeito (E) presente

18ª Questão. Em “Desta ponte saíram inúmeros veleiros carregados, alguns eram enormes e pintados de estranhas cores”, os pronomes em destaque são respectivamente:

(A) demonstrativo e tratamento
(B) indefinido e demonstrativo
(C) tratamento e indefinido
(D) indefinido e possessivo
(E) demonstrativo e indefinido

19ª Questão. Segundo o contexto, “réstia” significa:

(A) feixe de luz que passa por uma pequena abertura.
(B) trança de cebola ou alho.
(C) conjunto de estrelas e planetas.
(D) fonte de iluminação própria.
(E) luz vibrante.

20ª Questão. Em “Mas aquele era um cachorro sem pouso certo e cedo partiu em busca de outra pousada, o escuro de uma porta, o vão de uma ponte, o corpo quente de uma cadela”, o conectivo em destaque estabelece com a oração anterior uma relação de:

(A) condição (B) adição (C) explicação (D) oposição (E) conclusão



Nenhum comentário:

Postar um comentário