Seguidores

sábado, 6 de maio de 2017

Tema de redação — UNB — 2016

Tema de redação — UNB — 2016

PROVA DE REDAÇÃO

ATENÇÃO: Nesta prova, faça o que se pede, utilizando, caso deseje, o espaço indicado para rascunho neste caderno. Em seguida, escreva o texto na folha de texto definitivo da prova de redação em língua portuguesa, no local apropriado, pois não serão avaliados fragmentos de texto escritos em locais indevidos. Respeite o limite máximo de linhas disponibilizado. Qualquer fragmento de texto além desse limite será desconsiderado. Na folha de texto definitivo da prova de redação em língua portuguesa, utilize apenas caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente.

Pode-se definir guerra como a condução de atos sistemáticos de violência material ou psicológica, executados de forma mais ou menos organizada por  grupos sociais que se contrapõem. Tal violência é motivada por interesses considerados essenciais, no caso de não se chegar a um acordo por meios pacíficos de solução de controvérsias. Esses interesses são de ordem política, territorial, econômica, legal, ideológica, psicológica e social. 


Guilherme A. Silva e Williams Gonçalves. Dicionário de relações internacionais. 2.ª ed. rev. e ampl. Barueri: Manole, 2010, p. 107 (com adaptações).

A história das guerras é uma história de alteridades. Cada guerra é um fenômeno único, singular, irredutível. Os gregos guerreavam em nome da virtude; os “bárbaros” germânicos e os cavaleiros das estepes asiáticas, em nome do saque. Os cruzados lutaram na Terra Santa por Deus e pela Igreja. Os franceses e protestantes alemães combateram o império Habsburgo portando o estandarte da soberania secular. Napoleão Bonaparte marchou sob a bandeira do império. A glória nacional animou o exército prussiano de Bismarck; o “Reich de mil anos”, a Wehrmacht de Hitler. Os vietnamitas enfrentaram a França e os Estados Unidos da América para conseguirem a independência e a soberania. Árabes e israelenses bateram-se por fragmentos de território.

Demétrio Magnoli. No espelho da guerra. In: Demétrio Magnoli (org.) História
das guerras. 3.ª ed. São Paulo: Contexto, 2006, p. 15 (com adaptações).

Existe alguém esperando por você
Que vai comprar a sua juventude
E convencê-lo a vencer
Mais uma guerra sem razão
Já são tantas as crianças
Com armas na mão
Mas explicam novamente
Que a guerra gera empregos
Aumenta a produção...

Uma guerra sempre avança
A tecnologia
Mesmo sendo guerra santa
Quente, morna ou fria
Pra que exportar comida?
Se as armas dão mais lucros
Na exportação...
(...)

Que belíssimas cenas
De destruição
Não teremos mais problemas
Com a superpopulação...

Legião Urbana. A canção do senhor da guerra. In: Músicas para acampamentos. EMI Music. 1992.

Considerando que os textos e as imagens apresentados têm caráter unicamente motivador, redija, utilizando a modalidade padrão da língua escrita, um texto expositivo-argumentativo sobre o seguinte tema: Guerras: derrota para a humanidade
 Ao elaborar seu texto, aborde necessariamente os seguintes aspectos:
– motivações para as guerras;
– o impacto da evolução do conhecimento nas guerras;
– a guerra como derrota para vencidos e para vencedores.

www.veredasdalingua.blogspot.com.br
PREPARE-SE PARA OS PRINCIPAIS VESTIBULARES DO PAÍS. ADQUIRA AGORA MESMO O PROGRAMA 500 TEMAS DE REDAÇÃO!




Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário