Seguidores

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Prova de Língua Portuguesa – Mackenzie – 2015 – 1º Semestre

Universidade Mackenzie – Vestibular 2015 - 1º Semestre – Prova de Língua Portuguesa


Texto para as questões de 01 a 05

Seres humanos dividem o mundo entre “nós” e “eles”.
Criadas por razões religiosas, étnicas, preferências sexuais, futebolísticas ou de outra natureza, as tensões e suspeições intergrupais são as grandes responsáveis pela violência no mundo.
O preconceito que resulta dessas divisões não é consciente, está arraigado nas profundezas do passado evolutivo, na tendência universal de formarmos coalizões que nos ajudem a enfrentar os desafios que a vida impõe.
Experimentos conduzidos nos últimos 30 anos mostram que nos reunimos em grupos, mesmo em torno de objetivos fúteis: o fã-clube de uma cantora, um time ou um piloto de corrida. E que, ao nos incluirmos em tais agrupamentos, passamos a acreditar que nossos companheiros são mais inteligentes, espertos, generosos e dotados de valores morais superiores aos dos membros de outros grupos.
As pesquisas hoje estão dirigidas para as razões que nos levam a enxergar o mundo sob essa perspectiva do “nós” e “eles”. Que fatores em nosso passado evolutivo forjaram a extrema facilidade com que formamos coalizões e reagimos de forma preconceituosa contra os estranhos a elas?
Para muitos psicólogos, o ódio dirigido a “eles” tem origem na generosidade manifestada em relação a “nós” mesmos. [...]
Como consequência, esperamos encontrar acolhimento e solidariedade quando estamos entre “nós”, porque somos mais amigáveis, altruístas e pacíficos do que os de fora. Valores morais dessa magnitude nos autorizam a agir com violência contra inimigos que julgamos não possui-los, em caso de disputas por territórios, prestígio social, empregos ou acesso a bens materiais. [...]
Embora o preconceito esteja alojado em áreas arcaicas do sistema nervoso central, sua expressão não é inevitável. Nosso córtex cerebral já evoluiu o suficiente para reprimi-lo, de modo a abandonarmos a bestialidade do passado e adotarmos condutas racionais centradas na tolerância e na aceitação da diversidade humana.

Adaptado de Drauzio Varella

Questão nº 01 - Conclui-se do texto que:

a) O preconceito está fundamentado em rigorosas leis religiosas e civis que subsidiam os valores morais que com magnitude provocam a diferença e a exclusão.
b) A evolução humana ao longo dos tempos demonstrou que o homem estabelece em todas as situações de interação a predisposição para a compreensão do diferente, sendo prioritariamente pacífico.
c) A manifestação preconceituosa diante do diverso está arraigada não só nas condutas humanas em sociedade, mas também no nosso sistema nervoso, o que legitima para o autor a prática da segregação racial.
d) Ainda que haja evidências de natureza neurológica para nosso comportamento social, é fundamental que a convivência humana se baseie em valores morais que combatam a discriminação, que está na raiz de atos preconceituosos.
e) O hábito de se reunir em grupo, arraigado em nosso desenvolvimento como espécie, possibilitou, ao longo dos tempos, a formação de uma prática que nega ao extremo modos de exclusão social do diferente.
Questão nº 02 - Pela leitura, afirma-se corretamente que o objetivo principal do texto é:

a) informar dados percentuais indicativos do aumento da violência gerada em atos de intolerância.
b) demonstrar a inevitável falta de conciliação entre pesquisas científicas e valores morais determinados pela religião.
c) iniciar reflexão sobre como descobertas científicas e sua relação com os hábitos sociais podem nos auxiliar para rever o que nos conduz a atos que reafirmam o preconceito e a intolerância.
d) denunciar a violência contra jogadores de futebol nos estádios nacionais e internacionais, onde a prática preconceituosa da segregação racial está cada vez mais evidente.
e) demarcar a inevitabilidade do comportamento preconceituoso dos homens em sociedade, já que a ciência demonstrou que o preconceito está alocado em nosso sistema nervoso central.

Questão nº 03 - Considere os tópicos seguintes.
I. Uso de argumentos de autoridade em citações apresentadas por meio de discurso direto.
II. Raciocínio que contrapõe dados científicos à necessidade de reflexão sobre o comportamento humano em sociedade.
III. Introdução de tema principal feita de forma genérica e contundente.
Assinale a alternativa que indica corretamente os tópicos que apresentam recursos empregados na construção do texto.

a) Tópicos I e II.    b) Tópicos II e III.
c) Tópicos I e III.   d) Tópicos I, II e III.
e) Nenhum dos tópicos apresenta recurso empregado no texto.

Questão nº 04 - Assinale a alternativa que NÃO APRESENTA relação de equivalência de significado entre as palavras indicadas, considerando seu emprego no texto.

a) suspeições (linha 03) = desconfianças
b) arraigado (linha 06) = radicado
c) forjaram (linha 17) = engendraram
d) altruístas (linha 24) = calculistas
e) magnitude (linha 25) = grandeza

Questão nº 05 - Assinale a alternativa correta.

a) Em na tendência universal de formarmos coalizões que nos ajudem (linhas 06 e 07), a palavra coalizões pode ser substituída pelo seu sinônimo “colisões”, sem prejuízo para o sentido original do trecho em que está empregada.
b) Os dois pontos na linha 10 introduzem sequência de elementos com o objetivo de contradizer, com valor adversativo, o que está exposto anteriormente no mesmo período.
c) É indiferente o emprego das formas “sob” ou “sobre” em a enxergar o mundo sob essa perspectiva (linha 16), uma vez que usar uma forma ou outra não altera o sentido original do trecho apresentado.
d) A expressão a elas (linha 19) retoma antecedente expresso no mesmo período.
e) Embora (linha 28) introduz período que estabelece relação semântica de explicação em relação ao período subsequente àquele em que está empregado.

Texto para as questões de 06 a 08

O planalto central do Brasil desce, nos litorais do Sul, em escarpas inteiriças, altas e abruptas. Assoberba os mares; e desata-se em chapadões nivelados pelos visos das cordilheiras marítimas, distendidas do Rio Grande a Minas. Mas ao derivar para as terras setentrionais diminui gradualmente de altitude, ao mesmo tempo que descamba para a costa oriental em andares, ou repetidos socalcos, que o despem da primitiva grandeza afastando-o consideravelmente para o interior.
De sorte que quem o contorna, seguindo para o norte, observa notáveis mudanças de relevos: a princípio o traço contínuo e dominante das montanhas, precintando-o, com destaque saliente, sobre a linha projetante das praias, depois, no segmento de orla marítima entre o Rio de Janeiro e o Espírito Santo, um aparelho litoral revolto, feito da envergadura desarticulada das serras, riçado de cumeadas e corroído de angras, e escancelando-se em baías, e repartindo-se em ilhas, e desagregando-se em recifes desnudos, à maneira de escombros do conflito secular que ali se trava entre os mares e a terra; em seguida, transposto o 15º paralelo, a atenuação de todos os acidentes — serranias que se arredondam e suavizam as linhas dos taludes, fracionadas em morros de encostas indistintas no horizonte que se amplia; até que em plena faixa costeira da Bahia, o olhar, livre dos anteparos de serras que até lá o repulsam e abreviam, se dilata em cheio para o ocidente, mergulhando no âmago da terra amplíssima lentamente emergindo num ondear longínquo de chapadas...
Este facies geográfico resume a morfogenia do grande maciço continental.

Euclides da Cunha, Os Sertões.

Questão nº 06 - A partir do fragmento de Os Sertões, pode-se afirmar que todas as afirmações estão corretas, EXCETO:

a) o autor compõe seu texto com traços tanto de uma prosa científica quanto de uma prosa literária.
b) a constante utilização de termos científicos, como cumeadas, taludes e morfogenia, compromete o valor literário da obra.
c) destacam-se contrastes geográficos do Brasil, como evidenciado no fragmento: Mas ao derivar para as terras setentrionais diminui gradualmente de altitude (linhas 04 e 05)
d) há uma detalhada descrição da região embasada pelo conhecimento das Ciências Naturais.
e) a opção pela utilização de mais de um adjetivo para caracterizar o substantivo, como em escarpas inteiriças, altas e abruptas (linhas 01 e 02), está vinculada à ideia da objetividade científica.

Questão nº 07 - Assinale a alternativa INCORRETA sobre o contexto histórico e literário da prosa pré-modernista a que pertence o fragmento de Os Sertões.

a) Os prosadores pré-modernistas produziram uma literatura problematizadora da realidade brasileira de sua época.
b) Entre os temas pré-modernistas, está o subdesenvolvimento do sertão nordestino.
c) A investigação social presente na prosa pré-modernista colabora para o aprofundamento do sentimento ufanista nacional.
d) A prosa da época é marcada por obras de análise e interpretação social significativas para a literatura brasileira.
e) O pré-modernismo antecipou formal ou tematicamente práticas e ideias que foram desenvolvidas pelos modernistas.

Questão nº 08 - A partir do fragmento selecionado, considere as seguintes afirmações sobre as características da prosa de Euclides da Cunha.
I. Tendência à intensificação dos fragmentos descritivos.
II. Presença de vocabulário farto e raro.
III. Uso de tom subjetivo e linguagem simbólica.
Assinale a alternativa correta.

a) Estão corretas apenas as alternativas I e II.
b) Estão corretas apenas as alternativas I e III.
c) Estão corretas apenas as alternativas II e III.
d) Todas as alternativas estão corretas.
e) Nenhuma das alternativas está correta.

Textos para as questões de 09 a 11

Soneto VI

Brandas ribeiras, quanto estou contente
De ver-vos outra vez, se isto é verdade!
Quanto me alegra ouvir a suavidade,
Com que Fílis entoa a voz cadente!

Os rebanhos, o gado, o campo, a gente,
Tudo me está causando novidade:
Oh! como é certo que a cruel saudade
Faz tudo, do que foi, mui diferente!

Recebi (eu vos peço) um desgraçado,
Que andou até agora por incerto giro,
Correndo sempre atrás do seu cuidado:

Este pranto, estes ais com que respiro,
Podendo comover o vosso agrado,
Façam digno de vós o meu suspiro.

Cláudio Manoel da Costa

Soneto

Estes os olhos são da minha amada,
Que belos, que gentis e que formosos!
Não são para os mortais tão preciosos
Os doces frutos da estação dourada.

Por eles a alegria derramada
Tornam-se os campos de prazer gostosos.
Em zéfiros suaves e mimosos
Toda esta região se vê banhada.

Vinde olhos belos, vinde, e enfim trazendo
Do rosto do meu bem as prendas belas,
Dai alívio ao mal que estou gemendo.

Mas ah! delírio meu que me atropelas!
Os olhos que eu cuidei que estava vendo,
Eram (quem crera tal!) duas estrelas.

Cláudio Manoel da Costa

Questão nº 09 - É traço relevante na caracterização do estilo de época a que pertencem os poemas de Cláudio Manoel da Costa, EXCETO:

a) a valorização do locus amoenus.
b) a poesia bucólica.
c) a utilização de pseudônimos pastoris.
d) a busca da aurea mediocritas.
e) a repulsa à tradição clássica da poesia.

Questão nº 10 - Na composição poética árcade, a natureza é tratada:

a) como uma lembrança da pátria da qual foram exilados.
b) como um refúgio da vida atribulada das metrópoles do século XIX.
c) como um prolongamento do estado emocional do poeta.
d) como um local em que se busca a vida simples, pastoril e bucólica.
e) como uma fonte para o retrato crítico às desigualdades sociais.

Questão nº 11 - A respeito do momento histórico-literário brasileiro, à época do Arcadismo, pode-se afirmar que:

a) ocorre a transferência do centro econômico do Nordeste para a região Sudeste, com destaque para Minas Gerais, onde os poetas mantêm uma relação com sua geografia, sua política e sua história.
b) as invasões holandesas foram o maior conflito político-militar ocorrido no período, que estimularam o engajamento político-literário e a confecção das Cartas Chilenas.
c) a utilização do ouro, do aço e do petróleo impulsionaram o avanço científico da colônia, possibilitando a criação da Arcádia acadêmica, fonte de cultura para toda uma geração de poetas.
d) o nacionalismo ufanista e o irracionalismo alimentaram os primeiros momentos da Inconfidência Mineira, estabelecendo a permanência de uma literatura libertária no aspecto formal.
e) o lucro obtido com a extração do ouro e com a economia cafeeira estimularam as manifestações de independência, representada literariamente pela utilização constante dos versos livres.

GABARITO:
01 – D   02 – C   03 – B   04 – D   05 – D
06 – B   07 – C   08 – A   09 – E   10 – D   11 – A

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário