Seguidores

sábado, 30 de junho de 2012

Novas Fatecs – Prova de Língua Portuguesa - 1º Semestre – 2006

Fatec – Prova de Língua Portuguesa - 1º Semestre – 2006 – Novas Fatecs


Texto I - Leia o texto abaixo para responder às questões de números 43 a 46.

Os bem vizinhos de Naziazeno Barbosa assistem ao “pega” com o leiteiro. Por detrás das cercas, mudos, com a mulher e um que outro filho espantado já de pé àquela hora, ouvem. Todos aqueles quintais conhecidos têm o mesmo silêncio. Noutras ocasiões, quando era apenas a “briga” com a mulher, esta, como um último desaforo de vítima, dizialhe: “Olha, que os vizinhos estão ouvindo”. Depois, à hora da saída, eram aquelas caras curiosas à janela. com os olhos fitos nele, enquanto ele cumprimentava.
O leiteiro diz-lhe aquelas coisas, despenca-se pela escadinha que vai do portão até à rua, toma as rédeas do burro e sai a galope, fustigando o animal, furioso, sem olhar para nada. Naziazeno ainda fica um instante ali sozinho. (A mulher havia entrado.) Um ou outro olhar de criança fuzila através das frestas das cercas. As sombras têm uma frescura que cheira a ervas úmidas. A luz é doirada e anda ainda por longe, na copa das árvores, no meio da estrada avermelhada.
Naziazeno encaminha-se então para dentro de casa. Vai até ao quarto. A mulher ouve-lhe os passos, o barulho de abrir e fechar um que outro móvel. Por fim, ele aparece no pequeno comedouro, o chapéu na mão. Senta-se à mesa, esperando. Ela lhe traz o alimento.
– Ele não aceita mais desculpas...
Naziazeno não fala. A mulher havia-se sentado defronte dele, enquanto ele toma o café.
– Vai nos deixar ainda sem leite...
Ele engole o café, nervoso, com os dedos ossudos e cabeçudos quebrando o pão em pedaços miudinhos, sem olhar a mulher.
– É o que tu pensas. Temores... Cortar um fornecimento não é coisa fácil.
–Porque tu não viste então o jeito dele quando te declarou: “Lhe dou mais um dia!”

(Dyonélio Machado, Os ratos.)

Questão 43 - Considere as seguintes afirmações sobre a cena representada no texto:

I . O confronto entre o protagonista e o leiteiro indica que se trata de uma situação social marcada pela pobreza, já que Naziazeno não dispõe de dinheiro para saldar suas dívidas com a entrega diária do leite.
II. Diante das ofensas que o leiteiro dirige ao protagonista, os vizinhos manifestam sua solidariedade para com Naziazeno, espiando o que ocorre e cumprimentando-o como se nada tivesse ocorrido, logo que ele entra em casa.
III. Embora tente esconder seu nervosismo da mulher, a qual teme as conseqüências da dívida, Naziazeno procura aparentar calma, com frases que possam trazer tranqüilidade.
IV. Na descrição da cena, o narrador revela que a natureza é solidária com as preocupações de Naziazeno, como se vê em “no meio da estrada avermelhada”.

São corretas as afirmações

a) I e III, apenas. b) II e IV, apenas. c) I, II e III, apenas.. d) II, III e IV, apenas. e) I, II, II e IV.

Questão 44 - O romance Os ratos é representante da ficção brasileira dos anos 30, cujas principais características são:

a) análise psicológica, idealização da paisagem, focalização nos tipos humanos universais.
b) análise sociológica, predomínio de temas históricos, presença de personagens caricaturais.
c) análise da relação entre homem e natureza, predominância de enredos rurais, construção de personagens heróicas.
d) análise das tensões entre indivíduo e meio social, tendência a enredos realistas, propensão para personagens anti-heróicas.
e) análise dos determinismos no comportamento humano, predomínio de temas psicológicos envolvendo a vida sexual, criação de personagens doentios.

Questão 45 - Leia o trecho:

A mulher havia-se sentado defronte dele, enquanto ele toma o café.
– Vai nos deixar ainda sem leite...

Assinale a alternativa que substitui o discurso direto pelo discurso indireto, sem que ocorram infrações da norma culta.

a) A mulher lhe disse que o leiteiro ainda iria deixá-los sem leite.
b) A mulher o disse que o leiteiro ainda lhes irá deixar sem leite.
c) A mulher diz-lhe que o leiteiro ainda deixaria eles sem leite.
d) A mulher nos disse que o leiteiro lhes deixaria sem leite.
e) A mulher disse-lhe que o leiteiro ainda nos deixará sem leite.

Questão 46 - Assinale a alternativa que organiza as orações abaixo num único período, criando entre elas relações lógicas adequadas ao contexto:

Naziazeno ainda fica um instante ali sozinho. (A mulher havia entrado.) Um ou outro olhar de criança fuzila através da frestas das cercas.

a) Como a mulher havia entrado, Naziazeno ainda fica um instante ali sozinho, pois um ou outro olhar de criança fuzila através das frestas das cercas.
b) Embora Naziazeno ainda ficasse um instante ali sozinho, a mulher já havia entrado, antes que um ou outro olhar de criança fuzilasse através das frestas das cercas.
c) Porque Naziazeno ainda fica um instante ali sozinho, já que a mulher havia entrado, um ou outro olhar de criança fuzila através das frestas das cercas.
d) À medida que Naziazeno ainda fica um instante ali sozinho, pois a mulher havia entrado, mas um ou outro olhar de criança fuzila através das frestas das cercas.
e) Naziazeno, cuja mulher havia entrado, ainda fica um instante ali sozinho, a fim de que um ou outro olhar de criança fuzilasse através das frestas das cercas.

Texto II - Leia o texto a seguir, para responder às questões de números 47 e 48.

Na ciência e na tecnologia o progresso é real, mas só faz aumentar o conhecimento e o poder do homem, e esse poder pode ser usado tanto para os mais benignos objetivos quanto para os mais desastrosos. Quando o conceito de progresso é aplicado à ética e à política, ele é uma ilusão perigosa. Veja-se, por exemplo, o caso dos gregos e dos romanos antigos. É claro que eles acreditavam no desenvolvimento de novas ferramentas. Mas eles não transferiam essa noção de progresso técnico para a ética ou a política. É óbvio, também, que eles acreditavam no bem e no mal, que as sociedades podiam ser melhores ou piores, e que a prosperidade é preferível à fome e à pobreza. No entanto, para gregos e romanos, os jogos da ética e da política estavam sujeitos a avanços e retrocessos. Ou seja, a história humana era cíclica, com diferentes períodos se alternando, como ocorre na natureza.
A ciência, no geral, chega mais perto da verdade do mundo que outros sistemas de crença, e nós temos testemunhado seu sucesso pragmático em aumentar o poder humano. Mas, do ponto de vista ético, o conhecimento é neutro, desprovido de valor – pode tanto nos levar a realizações maravilhosas quanto atender a propósitos terríveis.

(John Gray, em Veja, 23 de novembro de 2005.)

Questão 47 - É correto afirmar que o texto

a) alerta para o perigo de o conhecimento ser usado para maus intentos, em razão de sua neutralidade ética.
b) critica as atitudes dos gregos e troianos, destacando o isolamento de sua filosofia diante da idéia do progresso humano.
c) argumenta a favor da aplicação do progresso científico e tecnológico para aumentar o poder do homem.
d) discorre sobre os benefícios de se aliar o progresso científico às crenças nos ciclos da natureza, como faziam os gregos.
e) incita a afastar o perigo representado pelo progresso, visto que este é cíclico e antiético.

Questão 48 - Assinale a alternativa em que os trechos do texto, reescritos, apresentam pontuação, concordância e colocação de pronomes de acordo com a norma culta.

a) Com a ciência, no geral chega-se mais perto da verdade, do que chega-se com outros sistemas de crença.
b) É certo, portanto, que se sujeitavam os jogos da ética e da política a avanços e retrocessos.
c) Aplicando-se à ética e à política conceitos, como o de progresso, é que vê-se que é: uma ilusão perigosa.
d) Na Grécia e na Roma antigas, já acreditavam-se em novas ferramentas desenvolvidas pela tecnologia.
e) Ainda se prefere, que a fome e a pobreza, dê lugar à prosperidade.

GABARITO

43 – A   44 – D   45 – A    46 – C   47 – A   48 – B   

www.veredasdalingua.blogspot.com.br

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário