Seguidores

domingo, 12 de agosto de 2012

Fatec 2007 – 2º Semestre – Prova de Língua Portuguesa

Fatec – Prova de Língua Portuguesa - 2º Semestre – 2007


Para responder às questões de números 43 a 45, leia os textos a seguir.

TEXTO I - Em pé, no meio do espaço que formava a grande abóbada de árvores, encostado a um velho tronco decepado pelo raio, via-se um índio na flor da idade.
   Uma simples túnica de algodão, a que os indígenas chamavam aimará, apertada à cintura por uma faixa de penas escarlates, caía-lhe dos ombros até ao meio da perna, e desenhava o talhe delgado e esbelto como um junco selvagem.
   Sobre a alvura diáfana do algodão, a sua pele, cor de cobre, brilhava com reflexos dourados; os cabelos pretos cortados rentes, a tez lisa, os olhos grandes com os cantos exteriores erguidos para a fronte; a pupila negra, móbil, cintilante; a boca forte mas
bem modelada e guarnecida de dentes alvos, davam ao rosto pouco oval a beleza inculta da graça, da força e da inteligência.

TEXTO II - Era preto retinto e filho do medo da noite. Houve um momento em que o silêncio foi tão grande escutando o murmurejo do Uraricoera, que a índia tapanhumas pariu uma criança feia.
   Já na meninice fez coisas de sarapantar. De primeiro passou mais de seis anos não falando.
   Ficava no canto da maloca, trepado no jirau de paxiúba, espiando o trabalho dos outros. O divertimento dele era decepar cabeça de saúva. Vivia deitado mas si punha os olhos em dinheiro, dandava pra ganhar vintém. E também espertava quando a família ia tomar banho no rio, todos juntos e nus. Passava o tempo do banho dando mergulho, e as mulheres soltavam gritos gozados por causa dos guaimuns diz-que habitando a água doce por lá.
   Nem bem teve seis anos deram água num chocalho pra ele e começou falando como todos. E pediu pra mãe que largasse a mandioca ralando na cevadeira e levasse ele passear no mato.A mãe não quis porque não podia largar da mandioca não. Ele choramingou dia inteiro.

QUESTÃO 43 - Considere as seguintes afirmações acerca desses textos.

I.  Os dois textos são descritivos: no Texto I predomina a descrição estática, de traços físicos da personagem; no texto II predomina a descrição dinâmica, de ações que caracterizam a personagem.
II.  Identifica-se o texto I como produto do Romantismo, especialmente pelo traço de idealização do herói exposto na linguagem.
III.  As marcas de estilo presentes no texto II são próprias do Modernismo: imitação do linguajar coloquial, palavras e construções da língua popular.
IV.  O resgate da temática indianista está presente nos dois textos, com o mesmo tratamento, prestigiando o elemento local e adotando igual ponto de vista na composição da singular identidade do homem brasileiro.

Deve-se concluir que estão corretas as afirmações:

a)  I, II e III, apenas. b)  I, III e IV, apenas. c)  II, e IV, apenas. d)  II, III e IV apenas. e)  I, II, III e IV.

QUESTÃO 44 - Assinale a alternativa em que os períodos I e II têm sentido equivalente.

a)  I.  No meio do espaço que formava a grande abóbada de árvores.
     II.  Em meio ao espaço formando o grande amontoado de árvores.
b)  I.  Uma simples túnica de algodão, a que os indígenas chamavam aimará, apertada à cintura por uma faixa de penas escarlates.
     II.  Uma simples túnica de algodão, chamada pelos indígenas de aimará, ajustada à cintura por uma faixa de penas brilhantes.
c)  I.  Caía-lhe dos ombros até ao meio da perna, e desenhava o talhe delgado e esbelto como um junco selvagem.
     II.  Caía-lhe das espáduas até o meio da perna, desenhando o porte delgado e esguio tal qual um junco selvagem.
d)  I.  Vivia deitado mas si punha os olhos em dinheiro, dandava pra ganhar vintém
     II.  Gozava a vida reclinado exceto quando punha os olhos em dinheiro dandando pra ganhar vintém.
e)  I.  Nem bem teve seis anos deram água num chocalho pra ele e começou falando como todos.
     II.  Bem depois de completados seis anos deram água num chocalho pra ele que começou a falar como todos.

QUESTÃO 45 - Assinale a alternativa em que se encontra redação de acordo com a norma culta escrita.

a)  E pediu à mãe que largasse a mandioca ralando na cevadeira e se dispusesse a levá-lo a passear no mato.
b)  Se as mães não se proporem a ir, é por que não podem largar a mandioca, não. Ele choramingou, dia inteiro.
c)  A boca forte mas bem modelada e guarnecida, de dentes alvos expunha no rosto pouco oval, a beleza inculta: da graça, da força e da inteligência.
d)  Tratavam-se de alguns índios que viam-se, em pé, no meio do espaço que formava a grande abóbada de árvores.
e)  Simples túnicas de algodão, onde os indígenas chamavam-nas de aimará, apertadas na cintura por uma faixa de penas escarlates, caíam-lhe dos ombros.

Leia o texto III, para responder às questões de números 46 a 48

TEXTO III

 O que faz você feliz?
A lua, a praia, o mar
A rua, a saia, amar...
Um doce, uma dança, um beijo,
Ou é a goiabada com queijo?
Afi nal, o que faz você feliz?
Chocolate, paixão, dormir cedo, acordar tarde,
Arroz com feijão, matar a saudade...
O aumento, a casa, o carro que você sempre quis
Ou são os sonhos que te fazem feliz?
Um fi lme, um dia, uma semana
Um bem, um biquíni, a grama...
Dormir na rede, matar a sede, ler...
Ou viver um romance? O que faz você feliz?
Um lápis, uma letra, uma conversa boa
Um cafuné, café com leite, rir à toa,
Um pássaro, ser dono do seu nariz...
Ou será um choro que te faz feliz?
A causa, a pausa, o sorvete,
Sentir o vento, esquecer o tempo,
O sal, o sol, um som
O ar, a pessoa ou o lugar?
Agora me diz,
O que faz você feliz?

(Anúncio publicitário do Grupo Pão de Açúcar, veiculado na Revista VEJA, edição de 21 de março de 2007)

QUESTÃO 46 - Nesse texto publicitário predomina um padrão de linguagem coloquial, no qual podem ocorrer desvios do padrão culto da língua. Assinale a alternativa contendo desvio(s).

a) “Ou é a goiabada com queijo?”.
b)  “O aumento, a casa, o carro que você sempre quis”.
c) “O que faz você feliz?”.
d) “Um cafuné, café com leite, rir à toa”.
e) “Agora me diz, o que faz você feliz?”.

QUESTÃO 47 - Os versos finais de quatro das estrofes começam com a conjunção “ou”; o sentido dela, nos quatro versos em questão, pode ser mais bem descrito como

a)  ênfase, destacando cada oração.
b) explicação, equivalente a “isto é”.
c) conseqüência das causas precedentes.
d) alternância ou exclusão.
e) dúvida ou conclusão.

QUESTÃO 48 - Podem-se destacar alguns elementos que caracterizam o texto como propaganda de uma rede de supermercados. Assinale a alternativa que cumpre melhor esse intento.

a)  Referência explícita a produtos industrializados, tais como “saia”, “doce”, “goiabada”, “queijo”, todos potencialmente à venda em supermercados.
b)  Apelo à idéia de que a felicidade depende de elementos naturais, tais como “lua”, “praia” e “mar”, aonde só se chega por meio das relações de compra e venda da sociedade de consumo.
c)  Menção aos atos de “dormir cedo e acordar tarde”, que evocam, por oposição e contraste, o ciclo do trabalho, base da vida voltada para as necessidades do consumo.
d)  Citação dos sonhos, em “ou são os sonhos que te fazem feliz?”, para simbolizar tudo aquilo que a noção do consumo leva as pessoas a almejar.
e)  Evocação da liberdade, na figura do pássaro, em “um pássaro, ser dono do seu nariz”, a qual sugere abandonar as limitações das pessoas compelidas a consumir mais.

GABARITO

43 – A   44 – C   45 – A   46 – E   47 – D   48 – A  


Novas Fatecs – Prova de Língua Portuguesa - 1º Semestre – 2006

Nenhum comentário:

Postar um comentário