Seguidores

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Tema de redação — UNB - 2012 - 2º Semestre

Tema de redação — UNB - 2012 - 2º Semestre


PROVA DE REDAÇÃO

ATENÇÃO: Nesta prova, faça o que se pede, utilizando, caso deseje, o espaço indicado para rascunho no presente caderno. Em seguida, escreva o texto na folha de texto definitivo da prova de redação em língua portuguesa, no local apropriado, pois não serão avaliados fragmentos de texto escritos em locais indevidos. Respeite o limite máximo de linhas disponibilizado. Qualquer fragmento de texto além desse limite será desconsiderado. Na folha de texto definitivo da prova de redação em língua portuguesa, utilize apenas caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente.

TEXTOS

Texto I

            No Renascimento, as filosofias humanistas tenderam a proclamar a superioridade do homem em relação ao reino da natureza; na Modernidade, essa interpretação adquiriu maior complexidade, à medida que a condição biológica humana foi sendo admitida e que a própria natureza passou a ser concebida como um fenômeno em permanente transformação.

Sandra C. A. Pelegrini. Cultura e natureza: os desafios das práticas preservacionistas na esfera do patrimônio cultural e ambiental. In: Revista Bras. Hist., vol. 26, n.º 51, São Paulo, Universidade Estadual de Maringá, jan.-jun./2006.

Texto II

Antes de existir alfabeto existia a voz
antes de existir a voz existia o silêncio
o silêncio
foi a primeira coisa que existiu
um silêncio que ninguém ouviu
astro pelo céu em movimento
e o som do gelo derretendo
o barulho do cabelo em crescimento
e a música do vento
e a matéria em decomposição
a barriga digerindo o pão
explosão de semente sob o chão
diamante nascendo do carvão
homem pedra planta bicho flor

Arnaldo Antunes. O silêncio (fragmento).

Texto III

Nada do que posso me alucina
Tanto quanto o que não fiz
Nada do que eu quero me suprime
Do que por não saber ainda não quis

Só uma palavra me devora
Aquela que meu coração não diz
Só o que me cega, o que me faz infeliz
É o brilho do olhar que eu não sofri

Abel Silva e Sueli Costa. Jura secreta (fragmento).

Texto IV

            Os jovens de hoje já foram acusados de tudo: distraídos, superficiais e até egoístas, mas, aos poucos, estão provocando uma revolução silenciosa, levando a sociedade a um novo estágio, que será muito diferente do que conhecemos.

Internet: <revistagalileu.globo.com> (com adaptações).

Considerando os excertos e as imagens acima como motivadores, redija um texto expositivo-argumentativo sobre o tema a seguir.

JOVENS DE HOJE: APRENDIZES DA PALAVRA E DO SILÊNCIO

Ao elaborar o seu texto, explicite como a juventude atual lida com a palavra e com o silêncio na construção de seus valores e de sua identidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário