Seguidores

sábado, 5 de agosto de 2017

Prova de Língua Portuguesa – Mackenzie – 2016 – 2º Semestre

Universidade Mackenzie – Vestibular 2016 - 2º Semestre – Prova de Língua Portuguesa



Texto para as questões de 01 a 05

Se precisamos estar em constante contato com os outros, é evidente que a comunicação é essencial para a vida humana e a organização social. Também é óbvio que, desde o começo de nossa existência, participamos do complexo processo de adquirir regras de comunicação e pô-las em prática. Na maioria das vezes, não discutimos os códigos e os modos de usá-los; simplesmente nos comunicamos por meio deles. Como afirmamos, isso acontece porque somos eminentemente sociais, incapazes de viver isolados.
Aliás, mesmo solitários, estabelecemos um modo de comunicação a que a psicologia se refere como intrapessoal, quando nos questionamos internamente, a partir de nossos sentimentos, nossas dúvidas, nossas motivações interiores. Paralelamente, estamos em constante comunicação interpessoal, aquela que se dá entre duas pessoas, ou grupal, que acontece entre uma pessoa e um grupo, ou vice-versa, além de recebermos os apelos da comunicação de massa, que se concretiza pelos meios tecnológicos, como o rádio, o jornal, a televisão, entre outros, acionados por jornalistas e publicitários, que geram e difundem informações e anúncios.
Como fenômeno social, a comunicação dá-se por intermédio de algum tipo de linguagem que, como vimos, se altera de acordo com o uso que as pessoas fazem dela. Verbais ou não verbais, criamos sinais que têm significado especial para o grupo humano do qual fazemos parte. A variedade de línguas faladas no mundo é um exemplo
bem evidente do fenômeno, mas existem outros. O significado que atribuímos às cores é um deles: se para nós, ocidentais, o vermelho pode significar poder [...], para algumas culturas africanas, ele está ligado ao luto, pois evoca luta, sangue, morte.

Vera Teixeira de Aguiar, O verbal e o não verbal

Questão nº 01 - Assinale a alternativa que mais apropriadamente resume a ideia principal do texto.

a) Os significados que atribuímos aos sinais da linguagem não verbal são universais, portanto idênticos para todos os grupos sociais e culturais.
b) Os indivíduos estão em permanente troca comunicativa, seja solitariamente com seus pensamentos, seja na interação verbal com outros falantes.
c) Atualmente, os meios de comunicação de massa têm contribuído negativamente para a formação dos grupos sociais.
d) A comunicação humana prescinde de sinais ou de qualquer outro tipo de linguagem para que se realize como fenômeno social.
e) As regras comunicativas que devemos aprender são exclusivamente as regras definidas pelas gramáticas normativas, que indicam o certo e o errado na língua.

Questão nº 02 - O texto pode ser classificado como uma:

a) notícia, pois, pela exploração de fatos do cotidiano, apresenta como função principal tratar de assuntos ocorridos em momentos específicos da sociedade.
b) elaboração poética, perceptível no emprego destacado de figuras de linguagem e de palavras em sentido conotativo.
c) mensagem de valor informativo, uma vez que, ao elaborar seus argumentos, procura divulgar didaticamente saberes sobre a linguagem.
d) mensagem com função instrucional, porque seu objetivo central é a orientação de comportamentos sociais.
e) narração, uma vez que há o desenvolvimento de um enredo que chega a uma conclusão por meio do suspense que cria no leitor.

Questão nº 03 - Considere as seguintes afirmações sobre o texto:

I. A palavra eminentemente (linha 08) pode ser corretamente substituída no texto por “acima de tudo”, sem que a alteração modifique sentidos originais do texto.
II. A palavra acionados (linha 17) pode ser corretamente substituída no texto por “mobilizados”, sem que a alteração modifique sentidos originais do texto.
III. A palavra difundem (linha 18) pode ser corretamente substituída no texto por “propagam”, sem que a alteração modifique sentidos originais do texto.

Assinale a alternativa correta.

a) As afirmações I e II estão corretas.
b) As afirmações II e III estão corretas.
c) As afirmações I e III estão corretas.
d) Nenhuma das afirmações está correta.
e) Todas as afirmações estão corretas.

Questão nº 04 - Assinale a alternativa INCORRETA.

a) Se precisamos estar em constante contato com os outros (linha 01) exprime a finalidade do fato contido na oração que lhe segue imediatamente.
b) A partícula las em pô-las (linha 05) refere-se anaforicamente a regras de comunicação.
c) A expressão a que (linha 10) pode ser substituída por “ao qual”, sem que haja alteração dos sentidos originais do texto.
d) O advérbio aliás (linha 09) denota, no texto, noção de retificação.
e) Verbais ou não verbais (linha 21) é expressão que caracteriza os sinais criados pelo homem, mencionados posteriormente no texto.

Questão nº 05 - Assinale a alternativa correta.

a) Adquirir (linha 04) pode ser grafada também como “adiquirir”, sem prejuízo para os sentidos do texto e para sua correção gramatical e ortográfica.
b) Em a partir (linha 11) é opcional o uso da crase, sendo que a expressão também pode ser grafada como “à partir”.
c) A forma verbal é (linha 23) pode ser substituída pela sua variante no plural “são”, sem prejuízo para os sentidos e a correção gramatical do texto.
d) Em apelos da comunicação de massa, que se concretiza pelos meios tecnológicos (linhas 15-16), a omissão da vírgula acarreta alteração de sentido do trecho.
e) Pelas regras da nova ortografia, a forma verbal do verbo ter na linha 22 também pode ser grafada como “tem”.

Textos para as questões de 06 a 11

Poema de Finados

Amanhã que é dia dos mortos
Vai ao cemitério. Vai
E procura entre as sepulturas
A sepultura de meu pai.
Leva três rosas bem bonitas.
Ajoelha e reza uma oração.
Não pelo pai, mas pelo filho:
O filho tem mais precisão.
O que resta de mim na vida
É a amargura do que sofri.
Pois nada quero, nada espero.
E em verdade estou morto ali.

Manuel Bandeira

Versos a um coveiro

Numerar sepulturas e carneiros,
Reduzir carnes podres a algarismos,
Tal é, sem complicados silogismos,
A aritmética hedionda dos coveiros!

Um, dois, três, quatro, cinco... Esoterismos
Da Morte! E eu vejo, em fúlgidos letreiros,
Na progressão dos números inteiros
A gênese de todos os abismos!

Oh! Pitágoras da última aritmética,
Continua a contar na paz ascética
Dos tábidos carneiros sepulcrais

Tíbias, cérebros, crânios, rádios e úmeros,
Porque, infinita como os próprios números
A tua conta não acaba mais!

Augusto dos Anjos

Vocabulário:
Carneiros - criptas, subterrâneos sepulcrais
Fúlgidos - brilhantes
Ascética - próprio do asceta, de quem se entrega a práticas espirituais, levando
vida contemplativa
Tábitos - pobres, corruptos
Tíbias - ossos que constituem a perna
Rádios - ossos que constituem o antebraço
Úmeros - ossos que vão do cotovelo ao ombro

Pai contra mãe (fragmento)

Houve aqui luta, porque a escrava, gemendo, arrastava-se a si e ao filho. Quem passava ou estava à porta de uma loja, compreendia o que era e naturalmente não acudia. Arminda ia alegando que o senhor era muito mau, e provavelmente a castigaria com açoutes, - cousa que, no estado em que ela estava, seria pior de sentir. Com certeza, ele lhe mandaria dar açoutes.
— Você é que tem culpa. Quem lhe manda fazer filhos e fugir depois? perguntou Cândido Neves.
Não estava em maré de riso, por causa do filho que lá ficara na farmácia, à espera dele. Também é certo que não costumava dizer grandes cousas. Foi arrastando a escrava pela Rua dos Ourives, em direção à da Alfândega, onde residia o senhor. Na esquina desta a luta cresceu; a escrava pôs os pês à parede, recuou com grande esforço, inutilmente. O que alcançou foi, apesar de ser a casa próxima, gastar mais tempo em lá chegar do que devera. Chegou, enfim, arrastada, desesperada, arquejando. Ainda ali ajoelhou-se, mas em vão. O senhor estava em casa, acudiu ao chamado e ao rumor.
— Aqui está a fujona, disse Cândido Neves.
— É ela mesma.
— Meu senhor!
— Anda, entra...
Arminda caiu no corredor. Ali mesmo o senhor da escrava abriu a carteira e tirou os cem mil-réis de gratificação. Cândido Neves guardou as duas notas de cinquenta mil-réis, enquanto o senhor novamente dizia à escrava que entrasse. No chão, onde jazia, levada do medo e da dor, e após algum tempo de luta a escrava abortou. O fruto de algum tempo entrou sem vida neste mundo, entre os gemidos da mãe e os gestos de desespero do dono.

Machado de Assis

Questão nº 06 - Considere as seguintes afirmações:
I. Os textos tratam da temática da morte a partir de um mesmo ponto de vista, independentemente de pertencerem a diferentes escolas literárias.
II. As composições poéticas são mais adequadas para o tratamento da temática emotiva da morte do que a composição em prosa, que costumeiramente privilegia a linguagem objetiva.
III. O poema de Manuel Bandeira e o fragmento de Machado de Assis são marcados, particularmente, por uma visão irônica e conservadora da morte.

Assinale a alternativa correta.

a) Estão corretas as afirmações I e II.
b) Estão corretas as afirmações II e III.
c) Estão corretas as afirmações I e III.
d) Todas as afirmações estão corretas.
e) Nenhuma das afirmações está correta.

Questão nº 07 - Sobre “Poema de Finados” e a obra de Manuel Bandeira é correto afirmar que:

a) o eu-lírico utiliza constantemente as formas verbais no modo imperativo para impor ao leitor suas mesmas sensações de dor e de perda.
b) o retorno ao passado é o principal tema da obra do poeta, evidenciado na presente composição pelo advérbio de tempo “Amanhã” (verso 01).
c) a partir da segunda metade do segundo quarteto, o eu-lírico inicia o processo de revelar ao leitor quem é o verdadeiro motivo de seus pedidos.
d) o terceiro quarteto comprova a estreita relação temática e formal da poética de Manuel Bandeira com o primeiro momento da poesia do Romantismo brasileiro.
e) o somatório de uma seleção vocabular simples e da espontaneidade com que o tema é tratado demonstra um descaso do eu-lírico com a morte.

Questão nº 08 - É correto afirmar que em “Versos a um coveiro”:

a) a construção do soneto com léxico das áreas da Biologia e da Matemática reduz o impacto poético da composição.
b) a composição textual estruturada na função fática e no uso de terminologia científica ampliam o valor literário do soneto.
c) o racionalismo científico e a opção pela composição em forma de soneto vinculam o poema selecionado aos ideais do movimento Naturalista.
d) a exploração de caracteres patológicos, mórbidos e pútridos afastam a possibilidade de o presente soneto ser considerado relevante para o universo da literatura brasileira.
e) o emprego de terminologia técnica, das áreas da Biologia e da Matemática, concede tom de racionalidade à morte, tratada de forma quantificável.

Questão nº 09 - No fragmento de “Pai contra mãe”, todas as alternativas estão corretas, EXCETO:

a) Em e após algum tempo de luta a escrava abortou (linha 26), percebe-se que o aborto é consequência do somatório de vários problemas enfrentados por Arminda entre sua fuga e sua captura.
b) Em Não estava em maré de riso, por causa do filho que lá ficara na farmácia, à espera dele (linhas 09-10), constata-se que Cândido caça Arminda para amenizar o seu estado de mau humor.
c) Em O que alcançou foi, apesar de ser a casa próxima, gastar mais tempo em lá chegar do que devera (linhas 14-15), pode-se inferir mais uma tentativa da escrava de entravar seu retorno ao antigo modo de vida.
d) Em Quem passava ou estava à porta de uma loja, compreendia o que era e naturalmente não acudia (linhas 02-03), entende-se que a caça a escravos fugidos era uma prática comum na sociedade da época.
e) Em — Meu senhor! — Anda, entra... (linhas 20-21), compreende-se que o dono da escrava não se comove ou se apieda com a fala da escrava que acabara de lhe ser devolvida.

Questão nº 10 - A partir dos três autores selecionados, considere as seguintes afirmações:

I. Manuel Bandeira foi poeta determinante na idealização e na organização da Semana de Arte Moderna de 1922.
II. Augusto dos Anjos, em função de sua perfeição métrica e rítmica, é considerado um dos expoentes da tríade parnasiana.
III. Machado de Assis abandonou a prosa romântica para desenvolver as digressões textuais, característica fundadora da prosa realista.

Assinale a alternativa correta.

a) Estão corretas as afirmações I e II.
b) Estão corretas as afirmações II e III.
c) Estão corretas as afirmações I e III.
d) Todas as afirmações estão corretas.
e) Nenhuma das afirmações está correta.

Questão nº 11 - Assinale a alternativa que NÃO pode ser considerada como afirmação válida sobre a obra poética de Augusto dos Anjos.

a) As suas imagens são tomadas à ciência e à técnica, cravando-se na sonoridade agressiva de um verso que incorpora a ênfase retórica e o mau gosto com tamanho destemor, que a aparente vulgaridade torna-se grandiosa e a oratória sai da banalidade para gerar uma espécie de mensagem apocalíptica. (Antônio Candido)
b) [...] inferior, banalizada pela repetição de situações desprovidas de surpresas, pouco imaginativas e repletas de clichês [...]. Uma literatura sem sobressaltos, que responde às expectativas do leitor médio, estabelecendo com ele um pacto onde a função recreativa domina. (Nelly Novaes Coelho)
c) Trata-se de um poeta poderoso, que deve ser mensurado por um critério estético aberto que possa reconhecer, além do “mau gosto” do vocabulário rebuscado e científico, a dimensão cósmica e a angústia moral de sua poesia. (Alfredo Bosi)
d) Limita-se às formas convencionais, de versos, é certo, mas uma aspereza toda sua, uma angulosidade de expressão servida pelo seu conhecimento de palavras duramente científicas, dá aos seus poemas um audacioso sabor mais para os olhos do que para os ouvidos. (Gilberto Freyre)
e) [...] mais do que qualquer parnasiano [...], sendo também, mais do que qualquer simbolista, o rei da aliteração. Raramente encontramos um hiato sobrevivente à sua metrificação impiedosa. (Otto Maria Carpeaux)


Nenhum comentário:

Postar um comentário