Seguidores

quarta-feira, 30 de julho de 2014

UFG - 2007 - 1º Fase - Prova de Língua Portuguesa

Prova de Língua Portuguesa - UFG - 2007 - 1ºfase


Leia a história em quadrinhos para responder às questões 01 e 02.

LAERTE. Folha de S. Paulo, São Paulo, 11 jun. 2006. Ilustrada, p. E6.

QUESTÃO 01

A sequência de quadrinhos indica uma progressão da narrativa na qual se percebe

(A) a atuação das personagens em semelhantes papéis na história criada.
(B) o embate das personagens ao quererem assumir o lugar do herói na aventura.
(C) a indecisão das personagens em definir a coerência dos eventos da história.
(D) a responsabilidade de uma das personagens em dirigir as ações de Jet Jackson.
(E) o descaso de Ikky em relação à importância do companheiro na elaboração do enredo.

QUESTÃO 02

O diálogo das personagens situa parte da história no plano da fantasia, pois as ações narradas

(A) são projetadas para um futuro distante.
(B) constituem lembranças recentes das personagens.
(C) são reveladas pela linearidade dos acontecimentos.
(D) acontecem num tempo anterior à brincadeira.
(E) são construídas enquanto vão sendo enunciadas.

QUESTÃO 03

Leia o texto.

Professora Etelvina e suas pílulas de sabedoriainstantânea

            Nos primórdios da linguagem escrita, um texto era uma longa sequência de caracteres.
            Sem espaços entre as palavras e sem nenhum sinal que indicasse pausa, ênfase ou pronúncia. Com o surgimento da imprensa, no século XV, o povo passou a ter acesso à leitura e foram, então, aparecendo símbolos variados, como os parênteses que vêm do grego e significam “ação de intercalar”. [...] E quando parecia que nada mais faltava para ser inventado surgiram os emoticons, símbolos criados a partir de outros símbolos, para dar mais vida à comunicação via internet. O mais famoso deles é o “sorriso deitado”... [: )]

ÉPOCA. São Paulo: Globo, 31 jul. 2006, p. 18. [Adaptado].

Com base nas dicas da professora Etelvina, é possível dizer que os símbolos gráficos, como parênteses e emoticons, têm como função

(A) garantir a interlocução, tornando a interação mais efetiva.
(B) recuperar sentidos convencionalizados desde o surgimento da escrita.
(C) evidenciar a interferência da oralidade na organização do sistema escrito das línguas.
(D) perturbar a interação nos meios de comunicação instantânea.
(E) desviar a atenção do leitor para informações secundárias contidas no texto.

QUESTÃO 04

Leia o texto.

            Plutão foi rebaixado porque não satisfaz a condição referente à limpeza da vizinhança planetária – sua órbita cruza a de Netuno, que é muito maior. Isso significa que, nos primórdios do Sistema Solar, ele não teve força gravitacional para engolir os corpos nos seus arredores.

FOLHA DE S. PAULO. São Paulo, 25 ago. 2006. Ciência, p. A20. [Adaptado].

No texto acima, o sentido dos termos limpeza e engolir é construído de modo

(A) categórico, pois dizem respeito a expressões relativas à astronomia.
(B) intertextual, pois relacionam descobertas científicas ao discurso da astrologia.
(C) metafórico, pois se atribuem a corpos celestes ações relativas a seres animados.
(D) irônico, pois enfatizam a inadequada inclusão de Plutão na categoria “planeta”.
(E) contraditório, pois as informações são incompatíveis com o conhecimento científico.

Leia os textos I e II para responder às questões 05 e 06.

TEXTO I

            Uma luta de adjetivos. Touro indomável foi uma solução mais precisa de Ranging Bull do que seria sua tradução literal, “touro enraivecendo”. A adaptação em português enfatiza o aspecto do termo, não a noção de tempo, como o original permitiria. Uma alternativa, Touro irado, tem igualmente menos força que o adjetivo “indomável”.

TEXTO II

            Million Dollar Baby (a menina de um milhão de dólares) não entrega o ouro de cara: descreve a protagonista que tenta sair da sarjeta por meio do boxe. Emite a ideia de um prêmio a coroar a obstinação da heroína, que vive sentimentos crus e sem afagos. O título em inglês nos induz a uma expectativa que será redefinida. Menina de ouro esvazia a ambiguidade original e confere uma afetuosidade à personagem que não é a tônica da história.

REVISTA LÍNGUA PORTUGUESA. São Paulo: Segmento, n. 5, 2006, p. 31-32.

QUESTÃO 05

No texto I, a adaptação do título do filme em português, substituindo enraivecendo por indomável, confere ao touro

(A) uma habilidade provisória.
(B) um estado inconstante.
(C) um comportamento oscilante.
(D) uma característica permanente.
(E) um caráter aventureiro.

QUESTÃO 06

Com base na leitura do texto II, pode-se afirmar que “Million Dollar Baby não entrega o ouro de cara” porque o título expressa

(A) a ambiguidade que induz a uma interpretação que será reformulada.
(B) a ideia de contraposição que sugere o caráter obstinado da personagem.
(C) a ironia que remete ao estado de pobreza incorporado pela protagonista.
(D) o sentido de afetuosidade que revela um tipo complexo de personagem.
(E) o pressuposto que conduz a uma expectativa que será comprovada.

QUESTÃO 07

Leia o texto de Paul Horowitz, físico da Universidade de Harvard.

Existe vida inteligente fora da terra?

“No Universo? Garantido. Na nossa galáxia? Extremamente provável. Por que não encontramos aliens ainda? Talvez nossos equipamentos não tenham sensibilidade suficiente. Ou não sintonizamos o sinal de rádio correto”.

SUPERINTERESSANTE. São Paulo: Editora Abril, n. 224, mar. 2006, p. 42.

Tendo em vista os argumentos utilizados por Paul Horowitz, pode-se inferir que ele

(A) garante a existência de aliens apoiando-se em comprovações científicas.
(B) prova que nosso encontro com extraterrestre é apenas uma questão de tempo.
(C) sustenta seu ponto de vista com base em resultados verificados por equipamentos adequados.
(D) revela suas ideias em uma escala que varia em diferentes graus de certeza.
(E) reconhece a existência de vida alienígena em nossa galáxia.

QUESTÃO 08

Leia o texto.

Qual é o animal mais estranho do planeta?

            Existem animais estranhíssimos na natureza, mas poucos são mais bizarros do que o ornitorrinco. Trata-se de um mamífero, mas possui bico de pato e põe ovos! É tão estranho que, em 1798, quando o primeiro exemplar empalhado chegou à Inglaterra, os zoólogos o denunciaram como falso. Até as combinações cromossômicas dos ornitorrincos são estranhas. Enquanto aos outros mamíferos bastam dois cromossomos sexuais (XX ou XY) para que se determine se são machos ou fêmeas, os ornitorrincos precisam de dez. XXXXXXXXXX para uma fêmea e XYXYXYXYXY para um macho.

PLANETA. São Paulo: Editora Três, n. 400, jan. 2006, p. 17.

De acordo com o texto, revela-se determinante para comprovar a estranheza do ornitorrinco, um mamífero que possui bico de pato e põe ovos, o fato de que

(A) poucos animais na natureza são mais bizarros do que ele.
(B) machos e fêmeas da espécie são determinados geneticamente por dez cromossomos.
(C) um exemplar empalhado foi denunciado como um animal falso.
(D) mamíferos apresentam uma combinação mínima de células sexuais.
(E) a constituição física desse animal é motivo de discussão desde o século XVIII.

Leia o texto para responder às questões 09 e 10.

Ricos Esquimós

            O aquecimento global e o derretimento das geleiras, acredite, têm enriquecido os habitantes do Pólo Norte. Localizada no extremo norte da América, a Groelândia é a maior ilha do mundo. Nela, 80% do território é coberto por geleiras e os termômetros marcam uma média de 22o negativos.
            Essa calota polar cujo volume é de 2,85 milhões de km3 está derretendo. Agora, a surpresa: criadores e pescadores começam a comemorar porque com isso eles estão ganhando dinheiro.

ISTOÉ. São Paulo: Editora Três, n. 1922. 23 ago. 2006, p. 26. [Adaptado].

QUESTÃO 09

No texto, os usos de acredite e agora têm o objetivo de

(A) destacar a opinião do autor pela apresentação de evidências estatísticas.
(B) indicar a criação de um espaço hipotético para o conteúdo do texto.
(C) delimitar a ocorrência dos eventos destacados em um plano temporal.
(D) mostrar aos interlocutores o caráter inverossímil dos fatos mencionados.
(E) estabelecer uma relação de proximidade entre o autor do texto e os interlocutores.

QUESTÃO 10

A “surpresa” a que o autor se refere no texto se justifica pelo fato de

(A) os habitantes das regiões polares viverem em isolamento.
(B) o degelo trazer sérias conseqüências para a população mundial.
(C) as camadas superficiais de gelo recobrirem o solo da calota polar.
(D) a temperatura média da ilha variar de acordo com o aquecimento global.
(E) a pesca em áreas congeladas requerer habilidades inusitadas dos esquimós.

QUESTÃO 11

No romance de Maria José Silveira, O fantasma de Luis Buñuel, fatos históricos amplamente conhecidos pelos brasileiros, assim como outros pouco ressaltados pela história oficial, são ficcionalizados. Para a valorização do factual no ficcional, a autora recorre

(A) a manchetes de jornais da época da elaboração do romance.
(B) a nomes de pessoas, a lugares e a situações com caráter verossímil.
(C) ao foco narrativo em primeira pessoa com interpretação subjetiva.
(D) a datas e aos respectivos acontecimentos em ordem cronológica.
(E) a descrições de cenas do passado desconectadas do presente.

QUESTÃO 12

Leia o poema de Cora Coralina.

Aninha e suas pedras

Não te deixes destruir...
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces.
[Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede.

CORALINA, Cora. Melhores poemas. Seleção de Darcy França Denófrio. São Paulo: Global, 2004. p. 243. (Coleção melhores poemas).

A coletânea de poemas de Cora Coralina está organizada em sete núcleos temáticos, um dos quais é “Entre pedras e flores” que contém o presente poema, cujo eixo temático relaciona-se

(A) ao trabalho do poeta que deve ser norteado pelo registro metalinguístico.
(B) ao caráter metafórico que é constituído de elementos pitorescos.
(C) ao verso prosaico que renova o modo tradicional de composição.
(D) à educação pela arte que transmite valores estéticos restritos.
(E) à arte poética que incentiva a função de pensar e reformular a vida factual.

QUESTÃO 13

O enredo de Calabar, de Chico Buarque e Ruy Guerra, representa um episódio remoto da formação sociopolítica brasileira que alude ao período da ditadura militar porque

(A) a linguagem apresenta traços denotativos para o enfrentamento da censura.
(B) o espaço da ação histórica restringe-se aos limites físicos do palco.
(C) o passado é colocado em cena sob o olhar contemporâneo e crítico dos autores.
(D) o conflito político ocorre por meio do jogo de poder entre portugueses e holandeses.
(E) a posição ideológica do texto dilui a reflexão crítica expressa pelas partes cantadas.

QUESTÃO 14

Nos contos “Vestida de preto”, “O peru de natal”, “Frederico Paciência” e “Tempo da camisolinha”, do livro Contos novos, de Mário de Andrade, o aspecto nuclear que
os aproxima é

(A) o recurso à introspecção.
(B) a temática da religiosidade.
(C) o tempo da vida escolar.
(D) a ação de ritmo linear.
(E) o apelo à evasão.

QUESTÃO 15

Leia o poema de Cruz e Sousa.

Acrobata da dor

Gargalha, ri, num riso de tormenta,
Como um palhaço, que desengonçado,
Nervoso, ri, num riso absurdo, inflado
De uma ironia e de uma dor violenta.

Da gargalhada atroz, sanguinolenta,
Agita os guizos, e convulsionado
Salta, “gavroche”, salta, “clown”, varado
Pelo estertor dessa agonia lenta...

Pedem-te bis e um bis não se despreza!
Vamos! retesa os músculos, retesa
Nessas macabras piruetas d’aço...

E embora caias sobre o chão, fremente,
Afogado em teu sangue estuoso e quente,
Ri! Coração, tristíssimo palhaço.

SOUSA, Cruz e. Broquéis, Faróis e Últimos sonetos. 2ª. ed. reform., São Paulo: Ediouro, 2002. p. 39-40. (Coleção super prestígio).

Vocabulário:
gavroche: garoto de rua que brinca, faz estripulias
clown: palhaço
estertor: respiração rouca típica dos doentes terminais
estuoso: que ferve, que jorra

Uma característica simbolista do poema acima é a

(A) linguagem denotativa na composição poética.
(B) biografia do poeta aplicada à ótica analítica.
(C) perspectiva fatalista da condição amorosa.
(D) exploração de recursos musicais e figurativos.
(E) presença de estrangeirismos e de barbarismos.

QUESTÃO 16

No tocante à descrição dos costumes indígenas, José de Alencar, em Ubirajara, retoma um procedimento já utilizado nos relatos dos cronistas do século XVI. No romance, o tratamento das informações referentes à cultura indígena resulta na

(A) transformação do passado colonial do Brasil.
(B) idealização da figura do indígena nacional.
(C) indicação dos sentidos da cultura autóctone.
(D) apresentação dos primeiros habitantes do Brasil.
(E) introdução do índio na literatura brasileira.

QUESTÃO 17

Leia os poemas de Cora Coralina e de Cruz e Sousa.

Todas as vidas

[...]
Vive dentro de mim
a lavadeira do Rio Vermelho.
Seu cheiro gostoso
d’água e sabão.
[...]
Vive dentro de mim
a mulher do povo.
Bem proletária.
[...]
Vive dentro de mim
a mulher da vida.
Minha irmãzinha...
[...]
Todas as vidas dentro de mim.
Na minha vida –
a vida mera das obscuras.

CORALINA, Cora. Melhores poemas., Seleção de Darcy França Denófrio. São Paulo: Global, 2004. p. 253-255. (Coleção melhores poemas).

Afra

Ressurges dos mistérios da luxúria,
Afra, tentada pelos verdes pomos,
Entre os silfos magnéticos e os gnomos
Maravilhosos da paixão purpúrea.

Carne explosiva em pólvoras e fúria
De desejos pagãos, por entre assomos
Da virgindade ─ casquinantes momos
Rindo da carne já votada à incúria.

Votada cedo ao lânguido abandono,
Aos mórbidos delíquios como ao sono,
Do gozo haurindo os venenosos sucos.

Sonho-te a deusa das lascivas pompas,
A proclamar, impávida, por trompas
Amores mais estéreis que os eunucos!

SOUSA, Cruz e. Broquéis, Faróis e Últimos sonetos. 2ª. ed. reform., São Paulo: Ediouro, 2002. p. 24-25. (Coleção super prestígio).

Vocabulário:
silfos: espíritos elementares do ar
assomos: ímpeto, impulso
casquinantes: relativo à gargalhada, risada de escárnio
momos: ator que representa comédia
incúria: falta de cuidado
delíquios: desfalecimento, desmaio
haurindo: extraindo, colhendo, consumindo

Nos poemas apresentados, os autores tematizam a mulher com perspectivas diferenciadas no que diz respeito, respectivamente, à

(A) preocupação com a cor local e à fuga da realidade em situações espirituais.
(B) perspectiva referencial dada ao tema e ao enquadramento conceptista das imagens.
(C) ênfase no misticismo africano e à descrição fantástica do corpo da mulher.
(D) musicalidade recorrente para a composição dos perfis e ao entrelaçamento de poesia e prosa.
(E) valorização de condições sociais marginalizadas e à construção erotizada da figura feminina.

QUESTÃO 18

O romance O fantasma de Luis Buñuel, de Maria José Silveira, e a peça Calabar, de Chico Buarque e Ruy Guerra, apresentam direta e indiretamente as conseqüências do golpe militar de 1964 na realidade brasileira. Assim, o enfoque literário é semelhante no que se refere

(A) ao processo revisionista dos modos da violência de Estado em tempos históricos remotos.
(B) à captação realista dos modos de rebeldia da juventude formada num contexto ditatorial.
(C) à expressão multifacetada da tradição autoritária na sociedade brasileira.
(D) ao tratamento alegórico das formas de atuação política do poder militar.
(E) à recorrência temática da luta político-partidária contra o poder autoritário vigente.

QUESTÃO 19

A ênfase na realidade brasileira faz parte dos projetos literários de José de Alencar e Mário de Andrade, apresentando como característica convergente a

(A) revelação literária da identidade nacional.
(B) evocação determinista do povo brasileiro.
(C) exaltação nativista da paisagem tropical.
(D) descrição minuciosa do cenário local.
(E) concepção idealista do tempo histórico.

QUESTÃO 20

Ubirajara, de José de Alencar, e O Fantasma de Luis de Buñuel, de Maria José Silveira, representam, respectivamente, as tendências romântica e contemporânea da literatura brasileira, caracterizadas

(A) pela configuração realista do enredo no primeiro e pelo enquadramento histórico no segundo.
(B) pelo tom lendário constitutivo tanto das personagens de um quanto do outro.
(C) pelo uso enfático da prosa intimista tanto no primeiro quanto no segundo.
(D) pela predominância da terceira pessoa no primeiro e variação do foco narrativo no segundo.
(E) pela utilização verossímil do tempo psicológico no primeiro e do cronológico no segundo.


Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário