Seguidores

sábado, 5 de agosto de 2017

Prova de Língua Portuguesa – Mackenzie – 2017 – 1º Semestre

Universidade Mackenzie – Vestibular 2017 - 1º Semestre – Prova de Língua Portuguesa


Texto para as questões de 01 a 05

Parece quase impossível existir algo tão complexo como o cérebro humano. Um neurocientista dedica anos de estudo apenas para se familiarizar com as principais regiões deste órgão, e não é para menos – são bilhões de células e trilhões de conexões. Por trás da fascinante estrutura neural, encontram-se funções bastante simples em seu objetivo. O cérebro existe para que possamos perceber o mundo e saber como reagir. É comum tratarmos a consciência como uma atividade passiva, mas não é bem assim – consciência requer metas, expectativas, capacidade de filtrar informações.
Se a mente lhe parece um espaço ativo, preenchido com mais coisas do que costuma aparecer em uma massa de circuitos, então você está certo ou certa. Você é a expressão física de uma história de desenvolvimento social muito maior do que imaginou. Seu cérebro é uma delicada entidade num constante frenesi de produção de conhecimento. A riqueza de suas vias reflete a riqueza de nossa vida.

Adaptado de Como o cérebro funciona, de John McCrone

Questão nº 01 - Depreende-se corretamente do texto que:

a) as funções cerebrais são extremamente complexas, o que torna improvável uma compreensão de seu funcionamento.
b) as funções do cérebro relacionam-se a atividades que estão distantes de nossa percepção e compreensão do mundo.
c) as relações sociais ao longo de nossas vidas têm pouca relevância para a organização e o funcionamento do cérebro.
d) compreender o cérebro implica entender que seus elementos estruturais relacionam-se com fatores externos, que os afetam de alguma maneira.
e) a consciência é derivada de simples mecanismos cerebrais, nos quais se incluem apenas relações internas entre neurônios, como fator relevante.

Questão nº 02 - Observe as afirmações sobre o texto.

I. Familiarizar-se com a estrutura cerebral é uma atividade menor para os
neurocientistas experientes.
II. A simplicidade da estrutura neural está relacionada à quantidade reduzida
de células e sinapses cerebrais.
III. Está correto o senso comum quando compreende a consciência como
atividade passiva e sem direcionamento específico.

Estão corretas:

a) as afirmações I e II.
b) as afirmações I e III.
c) as afirmações II e III.
d) todas as afirmações.
e) nenhuma das afirmações está correta.

Questão nº 03 - Assinale a alternativa correta.

a) A função expressiva evidencia-se como predominante no texto, marcada
inclusive pelo uso reiterado da primeira pessoa.
b) O texto está elaborado em torno da função referencial, uma vez que a
transmissão objetiva de um conteúdo é o interesse principal do autor.
c) Como todo texto científico, a exposição que se faz sobre o cérebro humano
é estruturada em torno do uso predominante da função fática.
d) O destaque que se dá, no texto, para o uso expressivo da língua e seus recursos
conotativos permite evidenciar a função poética como predominante.
e) A utilização de outros tipos de linguagem, além da verbal, permite que se
reconheça no texto como predominante uma função argumentativa.

Questão nº 04 - Assinale a alternativa correta.

a) O texto explora diferentes argumentos de autoridade, citados diretamente.
b) A estrutura textual está organizada por meio de informações que desenvolvem
uma ideia central.
c) A presença de perguntas retóricas reforça a orientação e o tom didáticos no
texto.
d) Dados numéricos e estatísticos evidenciam de modo inequívoco a natureza
científica do texto.
e) Verbos empregados, em sua maioria, no tempo passado reforçam o tom
narrativo da divulgação científica.

Questão nº 05 - Assinale a alternativa INCORRETA.

a) Tal como empregada no texto, a palavra frenesi (linha 14) refere-se a um
estado de exaltação.
b) A palavra tão (linha 1) apresenta, em seu emprego no texto, a função de
intensificador.
c) Assim (linha 8), como empregada no texto, tem a função de introduzir
uma informação que aparecerá apenas no período que lhe é imediatamente
posterior.
d) O pronome suas (linha 15) exerce função anafórica, ao se referir a uma
palavra empregada no período imediatamente anterior.
e) A palavra requer (linha 8) pode ser corretamente substituída por “demanda”,
sem prejuízo para os sentidos originais do fragmento em que é empregada.

Textos para as questões de 06 a 11

Incidente em Antares (fragmento)

Durante alguns minutos a defunta fica a olhar em torno – para a esplanada, o céu, o muro do cemitério, a lanterna acesa caída no chão... Depois se põe de joelhos e nessa posição, lentamente, faz a volta do esquife vizinho, desatarraxando-lhe a tampa, que tenta em vão erguer, terminada a operação. Bate três vezes com o punho cerrado na tampa do caixão negro, cujo ocupante responde, após segundos, com três batidas semelhantes. D. Quitéria vê a tampa que ela desaparafusou erguer-se lentamente e por fim cair para um lado. Um homem de estatura mediana e vestido de escuro sai do seu féretro, dá alguns passos com uma rigidez de boneco de mola, olha a seu redor, inclina-se, apanha a lanterna, passeia a sua luz pelo muro do cemitério, depois pela copa dos cinamomos, projeta-a contra a esplanada e por fim foca o rosto da dama, que continua ajoelhada.
— D. Quitéria Campolargo! – exclama o desconhecido. — Que honra! Que prazer!

Érico Veríssimo

Auto da Barca do Inferno (fragmento)

ANJO: Que quereis?
FIDALGO: Que me digais,
pois parti tão sem aviso,
se a barca do Paraíso
é esta em que navegais.

ANJO: Esta é; que demandais?
FIDALGO: Que me leixeis embarcar.
Sou fidalgo de solar,
é bem que me recolhais.

ANJO: Não se embarca tirania
neste batel divinal.
FIDALGO: Não sei porque haveis por mal
que entre a minha senhoria...
Pera vossa fantesia
mui estreita é esta barca.
Pera senhor de tal marca
nom há aqui mais cortesia?
Venha a prancha e atavio!
Levai-me desta ribeira!

ANJO: Não vindes vós de maneira
pera entrar neste navio.
Essoutro vai mais vazio:
a cadeira entrará
e o rabo caberá
e todo vosso senhorio.
Ireis lá mais espaçoso,
vós e vossa senhoria,
cuidando na tirania
do pobre povo queixoso.
E porque, de generoso,
desprezastes os pequenos,
achar-vos-eis tanto menos
quanto mais fostes fumoso.

Gil Vicente

A armadilha (fragmento)

Meu nome é Mort. Ed Mort. Sou detetive particular. Pelo menos isso é o que está escrito numa plaqueta na minha porta. Estava sem trabalho há meses. Meu último caso tinha sido um flagrante de adultério. Fotografias e tudo. Quando não me pagaram, vendi as fotografias. Eu sou assim. Duro. Em todos os sentidos. O aluguel da minha sala ― o apelido que eu dou para este cubículo que ocupo, entre uma escola de cabeleireiros e uma pastelaria em alguma galeria de Copacabana ― estava atrasado. Meu 38 estava empenhado. Minha gata me deixara por um delegado. A sala estava cheia de baratas. E o pior é que elas se reuniam num canto para rir de mim. Mort. Ed Mort. Está na plaqueta.

Luis Fernando Veríssimo

Questão nº 06 - Para Massaud Moisés:
I. Na rotina da vida diária, o riso desponta sempre que algo de inesperado ocorre, quebrando as nossas expectativas consagradas.
II. A sátira, entendida como a utilização deliberada e reformante do ridículo, visa precipuamente ao Castigat ridendo mores (Corrige os costumes pelo riso).
III. O riso deflagra em razão da incongruência ou da ruptura, ainda que breve, das regras estabelecidas pelo uso.

Há coerência entre os fragmentos literários selecionados e as considerações de Massaud Moisés indicadas:

a) nas afirmações I e II.
b) nas afirmações I e III.
c) nas afirmações II e III.
d) em todas as afirmações.
e) em nenhuma das afirmações.

Questão nº 07 - Assinale a alternativa INCORRETA sobre o fragmento “A armadilha”.

a) Em Sou detetive particular. Pelo menos isso é o que está escritonuma plaqueta na minha porta (linhas 01 a 02), fica claro que o narrador desconhece os objetivos de sua profissão.
b) Em Quando não me pagaram, vendi as fotografias (linhas 04), o narrador denuncia um desvio ético de sua postura profissional.
c) Em Fotografias e tudo (linha 04), depreende-se que Ed Mort conseguiu uma documentação substancial do flagrante.
d) Em E o pior é que elas se reuniam num canto para rir de mim (linha 10), percebe-se que o narrador vale-se da ironia para consigo mesmo.
e) Em Meu 38 estava empenhado (linha 08), evidencia-se mais um argumento comprobatório do estado financeiro de Ed Mort.

Questão nº 08 - Assinale a alternativa que NÃO pode ser associada a Érico Veríssimo e sua obra:

a) [...] surgiu como escritor no período entre guerras e, dessa forma, a sua literatura reflete os dilemas enfrentados pelos escritores do mundo todo num período cindido pelas oposições capitalismo x comunismo, socialismo x fascismo, arte x vida, beleza x verdade e contemplação x participação. (Donizeth Aparecido dos Santos)
b) [...] um dos primeiros autores brasileiros a elaborar diálogos com a coloquialidade graciosa e natural do nosso sertanejo. Focalizou os usos e costumes do interior do país, em narrativas pitorescas. (Rose Jordão e Clenie Bellezi de Oliveira)
c) [...] é um escritor-chave no início de um processo – ou promessa – de “abertura” do romance brasileiro para o cenário mundial, tanto no âmbito textual ou temático, quanto no âmbito de sua circulação internacional. (Carlos Alberto Cotez Minchillo)
d) [...] soube criar, para qualquer leitor, uma bela metáfora da sociedade urbana, aplicável não só a Porto Alegre de então, mas à ideia de cidade que ainda prevalece junto ao público: um lugar onde a ação pessoal de nada vale, porque a metrópole, ao mesmo tempo que os promove, torna anônimos todos os presumíveis heróis e nivela todos os dramas individuais. (Maria da Glória Bordini)
e) Para levar adiante o projeto de integrar as dimensões mítica, histórica e social do Rio Grande do Sul, criou a saga de duas famílias: os Terracambará e os Amaral, que dará origem à trilogia O tempo e o vento. (Maria Luiza M. Abaurre, Maria Bernadete M. Abaurre e Marcela Pontara)

Questão nº 09 - Assinale a alternativa que NÃO pode ser associada ao teatro de Gil Vicente.

a) [...] aparecem os homens livres pobres e também os escravos, tidos os primeiros como parasitas, e os segundos como tipos preguiçosos que nada fazem e devem ser frequentemente punidos. (Fernando Juarez De Cardoso)
b) Muitas de suas peças são moralidades [...] Seus autos, contudo, não têm a rigidez das moralidades da época; as alegorias transformam-se em vida, em personagens saborosos. (Anatol Rosenfeld)
c) [...] predomina [...] a sucessão de pequeninos quadros, a lembrar a mesma técnica da pintura narrativa medieval e das novelas de cavalaria. (Segismundo Spina)
d) Seu teatro, essencialmente moral e social, é marcado pela intenção crítica. O riso, a sátira e os gracejos tinham um endereço certo: o público que assistia às encenações e que acabava por rir de si mesmo, sem que, por cegueira ou vaidade, se reconhecesse. (João Domingues Maia)
e) [...] traz em si características de um momento de transição portuguesa, assim é marcado por traços que indicam desde elementos medievais até elementos renascentistas. (Alexandre Huady Torres Guimarães)

Questão nº 10 - Pode-se afirmar sobre a Geração de 1930 do Modernismo brasileiro à qual a crítica vincula Érico Veríssimo:

a) [...] inspirado pelas propostas iconoclastas das vanguardas europeias, deu início a um questionamento sistemático dos valores que fundamentam o gosto nacional. (Maria Luiza M. Abaurre, Maria Bernadete M. Abaurre e Marcela Pontara)
b) [...] busca apresentar o homem como um produto biológico, cujo comportamento é moldado pelo ambiente e pela herança genética. Essa tendência ocorre, especialmente, devido ao contexto científico da época que creditava à ciência natural a única forma de se explicar o mundo. (Luciana Paula Bento Luciani)
c) As manifestações literárias do período [...] indicam, de modo geral, o surgimento de uma mentalidade valorizadora da capacidade humana. Essa mentalidade inspirada na revalorização da cultura clássica da Antiguidade, conviveu com valores tipicamente medievais. (Ulisses Infante)
d) [...] foi um período no qual se observou a ressurreição da literatura greco-latina e o homem como um meio para a realização de seus fins transcendentes. (Anne Cristina Barbosa Peres)
e) O romance brasileiro de então, encontrando no regionalismo uma de suas principais vertentes, ganha matizes ideológicos e se transforma num importante instrumento de análise e de denúncia da realidade. (William Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães)

Questão nº 11 - Sobre o gênero predominante no fragmento de Luis Fernando Veríssimo, considere as seguintes afirmações:

I. [...] foi muito cedo praticado em toda a parte na Idade Média. Vemo-lo nascer num contexto litúrgico: depressa as cenas da Bíblia, do Evangelho sobretudo, foram dramatizadas. (Régine Pernoud)
II. Classicamente, diz-se que [...] se define pela sua pequena extensão. Mais curto que a novela ou o romance, [...] tem uma estrutura fechada, desenvolve uma história e tem apenas um clímax. (Heidi Strecker)
III. Caracteriza-se por ser condensado, isto é, por apresentar poucas personagens, poucas ações e tempo e espaço reduzidos. (William Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães)

Estão corretas:

a) as afirmações I e II.
b) as afirmações I e III.
c) as afirmações II e III.
d) todas as afirmações.
e) nenhuma das afirmações.


Nenhum comentário:

Postar um comentário